Quero Ser Cinegrafista

A mágica do cinema se concretiza, de fato, no momento em que alguém liga a câmera e começa a filmar. Mas quem é que aperta esse botão? A resposta é o cinegrafista, profissional responsável pelo manuseio do equipamento de filmagem ou de vídeo em um set de cinema ou de televisão.

Se o seu sonho de carreira passa longe de rotina ou mesmice, a vida de um cinegrafista pode ser bastante atraente. Com ótimas oportunidades nas mais variadas mídias e remuneração vantajosa para profissionais freelancer, a carreira traz ainda a vantagem de poder trabalhar com muitas pessoas e projetos diferentes. Quer saber um pouco mais? “Foi câmera e… ação!”

Guia - Responsabilidades do Diretor de Fotografia

Faça o donwload do Guia de Responsabilidades do Diretor de Fotografia

Neste artigo, vamos responder às principais dúvidas sobre a carreira de cinegrafista:

O que (exatamente) faz um cinegrafista?

Antes de mais nada, é preciso entender as diversas funções do departamento de cinematografia (ou fotografia) de uma obra audiovisual, seja para cinema ou TV.

O chamado operador de câmera trabalha sempre sob a supervisão do diretor do filme e do diretor de fotografia. O diretor controla as imagens captadas através de monitores e oferece as diretrizes para o trabalho. Esse profissional tem a autonomia controlada e opera o equipamento como eles sugerem. Vale lembrar que ele não é responsável pela iluminação.

Já o cinegrafista trabalha em uma função semelhante, operando a câmera, tanto em televisão como em cinema. A diferença é que ele tem mais autonomia sobre o material captado, já que tende a atuar quando não há um diretor (ou diretora) de fotografia, sendo responsável ainda por iluminar a cena. Dentro da área audiovisual, o cinegrafista normalmente acaba atuando também na área de vídeos corporativos e eventos.

O diretor de fotografia, por sua vez, tem como principal função conceitualizar a parte visual do filme, trabalhando com a câmera e a luz para criar as imagens de uma obra audiovisual. Ele até pode operar a câmera, dependendo do tamanho do filme. No entanto, em países como os Estados Unidos, isso raramente acontece. Já no Brasil, é mais comum encontrar diretores de fotografia literalmente atrás das câmeras.

O chamado repórter cinematográfico, por outro lado, trabalha com jornalismo em TV. Em geral, ele é um profissional filiado ao sindicato dos jornalistas e acumula diversas funções, que incluem captar imagens, iluminar entrevistas e ter um conhecimento mais abrangente sobre edição. Assim como o cinegrafista, tem mais autonomia sobre as imagens gravadas e, muitas vezes, atua sem a supervisão de um diretor.

Quanto ganha um cinegrafista?

Como as possibilidades de atuação (em diferentes mídias) variam muito para o cinegrafista – partindo do cinema até a televisão, jornalismo, publicidade, vídeos institucionais e vídeos para internet – a faixa salarial também é bastante variada.

A tabela recente do Sindcine para prestação de serviços como cinegrafista em telefilmes, séries, minisséries, novelas e conteúdo audiovisual de produção independente estabelece um piso de aproximadamente R$ 1.800 por semana. Os valores dos Sindicatos de Jornalistas e Radialistas podem diferir um pouco, assim como as tabelas de atuação em diferentes estados. No Rio de Janeiro o piso salarial estipulado pelo sindicado é de R$ 6.741,00 por mês. Já em São Paulo o salário mínimo da categoria é R$3.100,00.

O que acontece, hoje em dia, é que muitos profissionais freelancer que possuem seus próprios equipamentos acabam atrelando seu salário à locação desses equipamentos. O único cuidado é observar os orçamentos praticados no mercado, para não sair no prejuízo ou acabar colaborando – mesmo sem querer – para a desvalorização da profissão.

Como em qualquer outra profissão, o segredo é buscar constantemente novos contatos e parcerias em seu meio de atuação, além de realizar o melhor trabalho possível em cada oportunidade, para poder contar com boas referências profissionais. Nesse contexto, um bom cinegrafista, que se destaca como freelancer dedicado e de confiança, pode acabar ganhando muito mais do que um contratado – com trabalho fixo em uma emissora de TV, por exemplo.

Como é o dia a dia de um cinegrafista?

A vida de cinegrafista freelancer não tem muita rotina. Cada dia segue um cronograma de trabalho que vai de acordo com o projeto no qual ele está envolvido. No caso de programas de TV, normalmente o ritmo é um pouco mais intenso. Em eventos sociais ou vídeos corporativos, tudo depende das demandas do cliente. Já no cinema, a liberdade criativa e o tempo para trabalhar as imagens costuma ser um pouco maior.

Mesmo para um cinegrafista contratado – por um canal de televisão ou produtora – é preciso estar preparado para um dia a dia cansativo e, em geral, de muita correria. A vantagem é ter uma fonte de renda mais estável. A desvantagem pode ser a menor rotatividade ou variedade de projetos.

Entre as responsabilidades do cinegrafista no set, estão a checagem de equipamento, a realização de testes de câmera (em geral, antes de sair para gravar), além do comando da equipe de auxiliares (quando existir). No jornalismo, o profissional pode trabalhar diretamente com o repórter, discutindo com ele o que fazer. Independentemente da mídia em que atuar, é importante ressaltar que o trabalho do cinegrafista requer um enorme comprometimento, já que ele é único responsável pela imagem do produto audiovisual em questão.

Desafios da carreira

A democratização do acesso aos equipamentos fez com que a quantidade de cinegrafistas crescesse muito no mercado; porém, algumas vezes, a qualidade do material produzido não é das melhores, já que muitas pessoas acabam atuando nessa área sem o devido preparo. O maior desafio da profissão, portanto, é destacar-se em meio a tantos outros supostos profissionais, conseguindo bons trabalhos e recebendo um valor justo por eles.

Nesse sentido, além da habilidade para a operação de câmera, é essencial saber expor e enquadrar uma cena, demonstrando sempre muita paciência e gosto pelo que se faz. Outra característica que destaca um bom cinegrafista dos demais é a busca incansável por novos conhecimentos e tecnologias.

Como se tornar um cinegrafista?

Antigamente, os equipamentos pertenciam às emissoras ou locadoras. Hoje, por serem mais baratos e acessíveis, acabam sendo adquiridos por iniciantes, que imaginam poder aprender tudo na prática. Esse é um pensamento equivocado, já que é praticamente impossível progredir na carreira sem dominar os conhecimentos básicos da cinematografia – como iluminar, trabalhar a cor e os enquadramentos. Ou seja, um bom cinegrafista precisa ter conhecimentos de direção de fotografia.

Atualmente, pela pressão do mercado, a maioria dos profissionais da área possuem seu próprio equipamento, mas não basta apenas isso para executar bem a função. É necessário estudar e praticar, fazer cursos, conhecer o maior número possível de equipamentos, frequentar locadoras e pedir para ver o que há de novo.

Outro passo indispensável para estabelecer uma carreira como cinegrafista é participar de produções independentes e ganhar experiência, fazendo contatos e criando um portfólio. Aprende-se muito trabalhando como assistente de câmera, junto a um diretor de fotografia consagrado. Curtas-metragens estudantis também são excelentes oportunidades de aprendizado.

O que um cinegrafista iniciante precisa saber?

Para quem está começando na área, cursos de operação de câmera e de direção de fotografia são os mais indicados. Outras possibilidades, que certamente irão ampliar o campo de atuação do cinegrafista, são cursos de direção e de edição/montagem. Vale a pena investir em escolas que ofereçam conteúdos mais práticos, onde você possa “colocar a mão na massa” e ainda sair com algum trabalho bacana para seu portfólio.

É sempre válido, em qualquer momento da carreira, assistir aos clássicos do cinema e da televisão, para formar repertório, tentando fazer uma análise crítica do que se está vendo. Estudar referências de pintura e fotografia também pode ajudar a aguçar sua sensibilidade visual. Finalmente, desenvolver a atenção e cuidar da saúde são conselhos de profissionais estabelecidos, já que você vai precisar de muita disciplina e energia para dar conta do trabalho de um cinegrafista.

Quem busca um pouco de inspiração pode pesquisar o trabalho de renomados cinegrafistas brasileiros, como Dib Lutfi, Gustavo Hadba e Fabrício Tadeu. Outros nomes importantes da cinegrafia nacional são os documentaristas de natureza Lawrence Wahba e Cristian Dimitrius.

Leu tudo e se identificou? Confira estes cursos da AIC para iniciar ou se aprofundar na área. 

* Matéria de Katia Kreutz. Foto Alexandre Borges.
**Fontes consultadas para esse artigo, professores da Academia Internacional de Cinema (AIC): Cleumo Segond e André Moncaio

Veja também nossos outros artigos da série Profissões do Cinema: