Conheça 5 diretores negros e seus principais filmes!

Nos últimos anos, a pauta da diversidade tem estado em alta em todo o mercado audiovisual. Atores, diretores e produtores que integram minorias políticas (como as mulheres, os negros e os LGBTs) cada vez mais lutam para garantir a seus trabalhos a devida visibilidade e o reconhecimento que tanto merecem.

Ainda que o Oscar 2020 tenha, mais uma vez, privilegiado apenas homens brancos na categoria de Melhor Diretor, vários diretores negros (e diretoras!) fizeram um trabalho que merece ser reconhecido e premiado.

Pensando nisso, apresentamos 5 nomes neste texto para que você conheça não só os seus trabalhos mais recentes, mas também a relevância da carreira e das obras desses profissionais não só à comunidade negra, mas também a todo o mercado cinematográfico. Continue com a gente e confira!

1. Ava DuVernay

Ava DuVernay é uma roteirista e diretora norte-americana. Seus trabalhos de maior destaque são o filme Selma e a série Olhos Que Condenam. Porém, ela vem quebrando recordes desde 2012, quando lançou Middle of Nowhere. O filme independente, que é apenas seu segundo longa-metragem, ganhou como Melhor Direção no Festival de Sundance daquele ano, tornando-a a primeira mulher afro-americana a receber esse prêmio.

Com Selma, filme de 2014 que retrata a vida de Martin Luther King, novas barreiras foram vencidas: ela foi a primeira diretora negra a ser indicada a um Globo de Ouro, assim como a primeira a ser incluída na shortlist de Melhor Filme do Oscar.

Seu trabalho mais recente, Olhos que Condenam, recebeu 11 indicações ao Emmy de 2019. Trata-se de uma minissérie baseada em fatos reais, que conta a história de cinco jovens negros do Harlem condenados por um crime que não cometerem. Vale conferir o trabalho dessa diretora, que também já foi indicada ao Oscar de Melhor Documentário por 13th, que fala sobre o encarceramento em massa nos Estados Unidos.

2. Jordan Peele

Você até pode ainda não ter ouvido falar sobre Jordan Peele, mas dificilmente seus dois últimos trabalhos passaram despercebidos entre suas rodas de amigos. Ele é o diretor e roteirista de Corra!, filme que lhe rendeu o Oscar de Melhor Roteiro Original em 2017, tornando-o o primeiro homem negro a levar o prêmio nessa categoria.

Seu trabalho mais recente foi Nós, estrelado por Lupita Nyong’o. Assim como Corra!, o filme também traz um terror psicológico mas, diferentemente de seu primeiro filme de grande sucesso, não aborda tão diretamente a questão do racismo. Infelizmente, dessa vez tanto o diretor como o elenco ficaram de fora das indicações ao Oscar.

3. Spike Lee

Spike Lee é um experiente diretor norte-americano, além de também atuar como roteirista, produtor e professor de uma cadeira de drama na Universidade de Nova Iorque. Seu primeiro filme de grande repercussão foi Malcolm X, de 1992. Trata-se de um drama biográfico sobre a vida do ativista, inspirado no livro de Alex Haley.

Infiltrado na Klan, de 2018, lhe rendeu indicações (incluindo Melhor Diretor e Melhor Filme) e uma premiação no Oscar e quatro indicações ao Globo de Ouro, além de uma bilheteria de mais de U$ 90 milhões de dólares. O longa também é um roteiro adaptado e se passa no Colorado da década de 1970, quando um detetive afro-americano decide se infiltrar na Ku Klux Klan com o objetivo de expor o movimento que defendia a supremacia branca.

E podemos aguardar boas novidades do diretor para 2020: Da 5 Bloods será uma parceria com a Netflix e apresenta a história de quatro veteranos de guerra negros que decidem voltar ao Vietnã em busca de um tesouro. Será que vem mais premiação por aí?

Só para constar, a rede de streaming já tem uma série de comédia dramática em parceria com Spike Lee (baseada em um filme homônimo de 1986, do mesmo diretor) chamada Ela Quer Tudo. Tal produção conta a história de uma mulher negra, independente e defensora do amor live, que se relaciona com três homens diferentes. Vale conferir.

4. Barry Jenkins

O diretor e roteirista Barry Jenkins também ganhou maior notoriedade com seus dois últimos trabalhos: Moonlight e Se a Rua Beale Falasse. O primeiro, você deve lembrar, levou o Oscar de Melhor Filme em 2017, depois de um anúncio que ficou marcado por uma grande confusão na leitura dos envelopes.

O filme conta a história de Chiron em três etapas, enquanto ele precisa lidar com questões sobre raça e sexualidade. Trata-se do segundo filme com menor bilheteria nos EUA a levar o maior prêmio do Oscar, sendo que o filme teve ainda outras 7 indicações (levando também nas categorias de Melhor Ator Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado).

Se a Rua Beale Falasse também é um roteiro adaptado e conta a história de uma jovem que faz de tudo para inocentar o marido de crimes que ele não cometeu. O longa recebeu três indicações ao Oscar de 2018, mas levou apenas na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante (com Regina King).

5. Kasi Lemmons

E para encerrar esta lista, uma diretora norte-americana que pode ser entendida como uma grande aposta para os anos que virão. Ela já atuou em mais de 10 séries e filmes, inclusive como atriz e roteirista, mas demonstra um grande potencial como diretora, como podemos ver em Harriet, seu filme de 2019 que retrata a história da abolicionista Harriet Tubman.

O filme foi reconhecido em diversas categorias no NAACP (National Association for the Advancement of Colored People, ou Associação Nacional em Prol do Desenvolvimento de Pessoas de Cor, em tradução livre), mas foi indicado apenas na categoria de Melhor Atriz (com Cynthia Erivo) no Globo de Ouro e no Oscar de 2020.

Movimentos como o #MeToo e o #OscarSoWhite demonstram a importância da diversidade e da representatividade em Hollywood e nas grandes premiações do cinema mundial. E o primeiro passo para que esses profissionais cheguem ao Oscar, Globo de Ouro e similares é ampliarem seu alcance e visibilidade. Eles precisam ser assistidos, divulgados e compartilhados!

Por conta disso, é de extrema importância que estudantes e novos profissionais do audiovisual conheçam e prestigiem o trabalho de diretores negros. Mais que isso, para que também possam tê-los como referência e inspiração do que podem alcançar em suas respectivas carreiras.

Gostou deste texto? A gente espera que sim! Acredita que ficou faltando algum nome na nossa lista? Então não deixe de compartilhar com a gente aqui nos comentários e até a próxima!


Deixe seu e-mail e receba

Convite para eventos gratuitos, entrevistas e dicas, promoções e descontos

[mautic type="form" id="4"]