Como fazer um documentário: conheça as principais etapas

O escocês John Grierson é considerado o criador do conceito de documentário, e constituidor de uma comunidade em torno dele. Na época, a discussão era entre filmes feitos em estúdio ou aqueles tomados ao ar livre. Mais recentemente, se opuseram os conceitos de “documentário” e o de ficção. Hoje, a discussão mais profícua é o contraste (e semelhança!) do documentário com o jornalismo, em especial aquele de TV aberta.

Ao optar por fazer um filme ficcional sobre a vida de Fred Mercury, por exemplo, é preciso contar com atores caracterizados e que interpretem as situações apontadas no roteiro — ainda que inspiradas em acontecimentos verídicos. Já quando a escolha é a de retratar a carreira de Beyoncé em formato documental, a própria artista aparece em cena e a construção da obra se dá em cima de depoimentos reais e não encenações.

Como quaisquer outras obras cinematográficas, ele pode ser produzido em formato de curta ou longa-metragem, e conter outros elementos que ajudem a contar a história em questão, como: animações, narradores e personagens.

Quer saber mais sobre como fazer um documentário? Então continue conosco e acompanhe esta leitura até o final!

Quais as diferenças entre um documentário e um filme de ficção?

Existem diferenças entre a produção de um documentário e de um filme ficcional em todas as etapas de sua criação — que chamamos de pré-produção, produção, e pós-produção. Vamos conferir cada uma delas a seguir.

Pré-produção

Em um filme de ficção, essa é a etapa da criação de roteiros, seleção de elenco, escolha de locação etc. De todos esses exemplos, só o último acontece de forma semelhante no preparo de um documentário.

Certamente você vai precisar de locações e cenários para rodar seu filme, mas não contará com atores. No lugar deles, um documentário trabalha com a seleção de personagens, ainda que ambos atendam pelo nome do “elenco”. Por se tratarem de pessoas reais, a criação do roteiro também será diferenciada, visto que você não terá como colocar as palavras exatamente da forma como deseja na boca de cada uma delas.  Fala-se em pauta, ou pré-roteiro, mais até do que um roteiro propriamente dito.

Produção

Durante a produção de um filme de ficção, as filmagens em tese, devem seguir o roteiro à risca. O documentário, por sua vez, se propõe a retratar situações a partir da visão de um observador. O roteiro do documentário é mais aberto, o diretor deve olhar “para o lado” da cena principal, pois ali podem estar elementos instigantes que deixam o documentário mais complexo, com mais camadas de interpretação.

Assim, muitas filmagens incluem a captação de cenas de bastidores, de reações e de outras situações não previstas no roteiro. Portanto, o jogo de cintura aqui deve ser maior e é preciso contar com uma equipe que esteja aberta para enfrentar esse tipo de situação.

Pós-produção

A pós-produção é uma das etapas mais diferentes entre a criação de um filme ficcional e um documental. Trata-se da fase de montar as cenas e organizá-las de forma a dar fluidez e sentido à história. Ainda que a edição de um filme possa, vez ou outra, incluir elementos não previstos no roteiro, isso é muito mais comum em um documentário.

Isso acontece justamente porque o roteiro de um filme documental é mais aberto e flexível a situações inesperadas. Certamente o editor de uma não-ficção tem muito mais escolhas a fazer sobre quais filmagens incluir e o que deixar de fora e sobretudo como “costurar” essas realidades todas de forma a fazer um trabalho íntegro e compreensível ao espectador. Isso tem muito a ver com a abordagem que o diretor deseja imprimir na obra.

Quais as etapas mais comuns de um documentário?

Agora que você já conhece as principais diferenças entre a produção de um filme ficcional e um documentário, vamos abordar passo a passo as etapas mais comuns a essa modalidade cinematográfica. Confira!

Pesquisa

O pesquisador é um profissional fundamental na produção de um documentário. É ele quem vai avaliar a aplicabilidade da ideia do filme. Os personagens têm profundidade e estariam dispostos a contar suas histórias? Aonde seriam as filmagens? Que elementos participarão da cena? Existe material de pesquisa (arquivos) para enriquecer o audiovisual? Tudo isso deve ser respondido nesta etapa.

Planejamento

Planejar um documentário envolve tanto a organização de elementos técnicos (como os equipamentos a serem utilizados nas filmagens), como aspectos mais burocráticos (licenciamento de materiais utilizados e autorizações de uso de imagem dos personagens entrevistados, por exemplo).

Argumento

O argumento de um documentário pode ser escrito durante ou após a pesquisa. Comumente, esse é o documento apresentado a potenciais financiadores ou submetido a editais. Ele deve vender a ideia que o documentário quer contar e explicar a sua relevância (com base no que foi levantado na pesquisa).

Roteiro

O roteiro (também chamado de pré-roteiro em documentários) vai estabelecer a ordem das filmagens e dos personagens a serem entrevistados. Pode elencar objetos e trazer especificações sobre a abordagem pretendida no filme. Novamente, é importante ter em mente que muita coisa pode mudar durante as filmagens.

Filmagem

A filmagem de um documentário precisa mesclar com sabedoria o que foi planejado e o que surge no improviso, afinal, existe um cronograma de filmagem (e montagem) a ser seguido. É importante que ele seja flexível e, sempre que possível, tente entrevistar personagens principais mais de uma vez.

Som

O som também precisa ser considerado durante as etapas de roteiro para que seja executado propriamente nas filmagens e na edição. É possível trabalhar com o som direto (o que é captado durante as filmagens) e mesclá-lo criativamente com sons produzidos em estúdio (como trilhas e efeitos sonoros). O som, no entanto, é um aspecto crítico: se for mal captado, não será possível refazê-lo.

Edição

A montagem de um documentário é responsável pela estruturação final da narrativa pretendida. Aqui acontece o que chamamos de “terceiro filme”, feito a partir do material bruto, sem apego às formulações originais. A realidade do que foi filmado se impõe!

Qual a importância dos equipamentos na produção de um documentário?

Como em qualquer produção cinematográfica, a escolha dos equipamentos utilizados pode fazer toda a diferença no resultado final do seu documentário. Porém, dependendo do tema do seu filme, é preciso que essa atenção seja redobrada.

É preciso saber se você vai gravar à noite e se poderá contar com uma grande estrutura de som e iluminação para a captação das cenas de cobertura (as que não são de depoimento). Outro ponto a ser considerado é o ambiente utilizado para essas cenas, uma vez que até o aparato técnico pode impactar na execução da obra.

Existe a possibilidade de algumas dessas filmagens serem realizadas com um bom celular ou uma GoPro, por exemplo? Tudo isso precisa ser avaliado ainda nas etapas de planejamento e pesquisa para que você tenha tempo hábil de encontrar soluções pertinentes e criativas ao seu projeto.

Como você viu, filmes não ficcionais são tão relevantes ao cinema como os narrativos e podem, inclusive, ter um peso histórico. Se você quer de fato saber como fazer um documentário, é interessante investir em qualificação profissional. Saber identificar os melhores equipamentos, conhecer estratégias de como entrevistar e dominar técnicas de direção são habilidades desenvolvidas em um curso na área.

Esperamos que este texto tenha sido útil para você! Quer continuar acompanhando nossos textos sobre o mundo e o mercado cinematográfico? Então siga nosso perfil nas redes sociais! Estamos no Facebook, no Instagram, no Twitter, no YouTube e também no LinkedIn.

 


Deixe seu e-mail e receba

Convite para eventos gratuitos, entrevistas e dicas, promoções e descontos