Quero ser Produtor

Teresinha Cipolotti, diretora de produção, dá dicas de como ingressar na profissão

Fazer a produção de um filme, seja um curta, um longa-metragem ou um filme publicitário, não é tarefa fácil e requer dedicação e gosto pela profissão. Em entrevista exclusiva, a Produtora e Coordenadora do curso de Produção da AIC, Teresinha Cipolotti, revela um pouco do dia a dia da profissão. Formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista e pós-graduada em Cinema, Vídeo e Fotografia na Universidade Anhembi Morumbi, Teresinha Cipolotti trabalha como produtora de cinema e filmes publicitários. Também se dedica a produções fotográficas e um dos seus maiores clientes é a Editora Abril. Já produziu a capa de diversas revistas, entre elas Cláudia e Veja. Ao longo de sua carreira fez produção teatral, como a peça “Meu Reino por um Cavalo”, de Dias Gomes. Hoje, divide seu tempo com o Curso de Produção da AIC e com as atividades na Produtora Movi&Art.

Diferenças x Confusões – O que um Produtor faz de verdade?

Produção Cinematográfica é um termo muito amplo que por vezes gera confusão entre as funções de Produtor Executivo e Produtor Geral ou Diretor de Produção. O Produtor Executivo desenvolve o projeto do ponto de vista da captação de recursos, tem conhecimento das leis e editais onde possam ser inscritos projetos. Ele é responsável por preparar o orçamento global e distribuir as verbas entre pré-produção, produção, pós-produção, distribuição e comunicação. Além disso, é ele quem corre atrás do dinheiro, ou seja, da captação de patrocínio. Já o Diretor de Produção é subordinado ao Produtor Executivo, é ele quem administra o dinheiro do projeto e tem contato direto não só com Diretor Cinematográfico, mas também com o restante da equipe de filmagem. Sua função é fazer com que o filme descrito no roteiro saia do papel e se torne realidade dentro da verba determinada. Ele atua tecnicamente, administrativamente e criativamente. Também inserido no termo Produção Cinematográfica, temos as diversas subdivisões da produção, como produção de casting ou elenco, produção de objetos, produção de figurino, produção de locação, produção culinária e platô. A Produção está ligada a todas as áreas de uma equipe de filmagem, pois auxilia e cobra todos os outros membros da equipe. Desde a construção do cenário a devolução de material utilizado.

Diferença entre TV, Filme e Foto?

A Produção, seja qual for a mídia, é sempre igual. O que muda é a burocracia de cada mídia e o prazo para entrega do trabalho.


Pesquisa, Pesquisa, Pesquisa. O produtor precisa PESQUISAR sempre.
Enquanto no longa o tempo de preparação e filmagem é maior, na TV ou na Publicidade, esse tempo pode ser bem pequeno.

A cada trabalho, é necessário um período de preparação que é chamado de pré-produção, no qual se processam as pesquisas referentes a cada área, como objetos, casting, figurino etc. Estas pesquisas são realizadas para trazer as melhores opções e respostas ao levantamento de necessidades feito após a leitura do roteiro. Os instrumentos usados para essa pesquisa são a internet, os contatos do produtor, as revistas especializadas, conversas com profissionais da área e outras referências pessoais de cada profissional.

E o salário?

O Sindicato da categoria é o Sindcine – Sindicato da Indústria Cinematográfica. O sindicato disponibiliza valores atualizados sempre. As tabelas são divididas em longa, média e curta-metragem, além de filmes publicitários, telefilmes, séries, minisséries, novelas, audiovisuais de produção independente, vídeos, programas para tv e conteúdo audiovisual para internet. Hoje, um Diretor de Produção ganha R$ 1.361,54 em uma semana de trabalho para produzir um filme publicitário e R$ 1.706,00 para produzir um longa, média e curta-metragem. É sempre bom lembrar que os valores de piso são referentes a 6 horas diárias quando às filmagens forem realizadas em estúdio e de 8 horas diárias quando as filmagens forem realizadas em ambiente externo, como determina o Sindcine.

The Oscar goes to…

São muitos os filmes que poderiam levar um prêmio de produção. Mas agora, em especial, lembro de um curta da feito na Academia Internacional de Cinema, dirigido por Gui Aschar chamado “Professor Godoy”. Neste filme tudo estava correto no que se refere a produção, a locação, o figurino, os atores, os objetos enfim, houve uma confluência que resultou num trabalho profissional e de qualidade.

Dica pra quem tá começando…

Para aqueles que estão iniciando na profissão ou querem fazer da produção cinematográfica, seu ofício, sugiro que tenham a mente aberta as novidades, sejam curiosos, procurem estar sempre bem informados sobre vários assuntos, pratiquem o jogo de cintura e diplomacia, não acreditem quando receberem um não como resposta e acima de tudo sempre tenham em mente que Cinema se faz com trabalho em equipe, onde cada um é muito importante no projeto final.

 

*Foto Mônica W.

* Matéria publicada na edição 136 da Revista ZOOM