Dicezar Leandro

Dicezar Leandro

Diretor de Arte em Cinema e Séries para TV e Streaming. Integrou a equipe criativa do Diretor Luiz Fernando Carvalho no processo de concepção do longa-metragem Objetos Perdidos (em fase de captação de fomento) e A Paixão Segundo G.H. (em pós-produção). Trabalhou com Brigitte Broch (ganhadora do Oscar de Direção de Arte por Moulin Rouge e diretora de arte em Amores Perros, Biutiful, 21 Gramas, O Leitor, entre outros) como Diretor de Arte de Set em longa-metragem brasileiro. Fez a Direção de Arte nos longas-metragens A Felicidade das Coisas, de Thais Fujinaga que estreou no Festival de Rotterdam 2021, na Holanda e Helen, de André Meirelles Collazzo que estreou no festival de Toulouse, França, em 2020, bem como, em conjunto com Monica Palazzo, fez a direção de arte do Oração do Amor Selvagem, de Chico Faganello, que teve sua primeira exibição ainda na fase de montagem durante o “Carte Blanche”, do Festival de Locarno, na Suíça, em 2014. Colabora com a direção de arte para o longa-metragem documentário Disposições Amoráveis, sob direção de Ana de Oliveira e protagonismo do Gilberto Gil, que está ainda em fase de produção. Outro destaque vai para o longa-metragem Cores, de Francisco Garcia, no qual fez produção de arte, e teve a estreia no Festival de San Sebastian, Espanha, em 2012. Fez direção de arte em séries como: O Louco dos Viadutos, de Eliane Caffé (TV Cultura), A Grande Luta – segunda temporada (HBO) e Mil DiasA Saga da Construção de Brasília (History Channel), com a direção de Fernando Honesko, Infância Roubada (HBO) com direção de Gustavo Mello e Ico Bit Zip (Nat Geo Kids), com direção de Pedro Jorge e indicação ao Emmy Awards Kids 2020. Também fez a direção de arte para esquetes cômicas da Cia Barbixas de Humor, além da websérie Barbixanos pra mesma companhia. Realizou a direção de arte para a série “VR 360”, multiplot com clipe Amor Pixelado da cantora Céu, sob direção de André Collazo Meireles. Fez a direção de arte do curta-metragem Baile, de Cintia Domit Bittar, que foi qualificado ao Oscar 2021 na categoria curtas-metragens live action. Outros curtas-metragens que realizou a direção de arte e tiveram bastante destaque em festivais, foram Demônia, Melodrama em três atos, de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet, Peripatético, de Jéssica Queiroz e Irmãos Mai, de Thais Fujinaga. Também esteve a frente do departamento de arte em projetos sob a direção de Carlos Daniel Reichel, Daniel Chaia, Daniel Grispum, Denise Vieira Pinto, Eduardo Kishimoto, Eduardo Mattos, Jaqueline Vargas, Juliana Rojas, Roney Freitas, Rui Calvo, Tiago Cordeiro e Tiago Vieira. Já recebeu 12 prêmios de melhor direção de arte, sendo o mais expressivo Melhor Direção de Arte no CINE PE 2015, pelo O Segredo da Família Urso, de Cíntia Domit Bittar. Em publicidade atuou para anunciantes como: Governo Federal, Renault, Grupo Riviera, Gillete, Revlon, Hasbro, Fox, Cerrati, Matel, Lojas Colombo, Club Social, Budweiser, etc. Já lecionou Direção de Arte como professor conferencista na ECA/USP no curso de Audiovisual, é professor e coordenador na Academia Internacional de Cinema e já lecionou na pós-graduação em Direção de Arte para Audiovisual no SENAC/SP. É graduado em Comunicação Social – Publicidade e Propaganda (FURB/SC) e possuí duas especializações, uma em Design (UNIVALI/SC) e outra em Mídia e Conhecimento (UFSC/SC).

Direção de Arte - Intensivo de Férias

69h | o universo de Direção de Arte em Cinema e Audiovisual. Realize um projeto de direção de arte e experimente todas as etapas da realização audiovisual