Como o storytelling tem sido utilizado no cinema?

Você sabe o que é storytelling? A tradução literal pode ser entendida como “contação de histórias”. Apesar de essa ser uma prática muito antiga, o termo ganhou uma nova conotação a partir de seu uso em diferentes frentes do marketing e também da educação.

Trata-se de uma estratégia de criação de conteúdo utilizada para criar vínculos com uma audiência por meio de empatia e envolvimento. Na educação, é uma forma de despertar o interesse e reter a atenção dos alunos. Já no marketing, em que é mais utilizada, a técnica busca humanizar empresas e aproximar o público de uma marca.

Porém, também é possível utilizar o storytelling no cinema, de forma a envolver o espectador e, assim, garantir sucesso de público e crítica. Quer saber como? É só acompanhar a leitura deste texto até o final!

Quais os elementos de um bom storytelling?

Agora, como acontece essa aproximação? Um dos principais objetivos do storytelling é gerar a identificação do público com a história contada. Para isso, alguns elementos são fundamentais, como:

  • abordar questões e situações humanas;
  • tratar de temáticas sociais;
  • trazer elementos da vida real e cotidiana;
  • ter personagens fortes e capazes de gerar identificação;
  • apresentar um conflito que deve ser solucionado;
  • ter a capacidade de emocionar.

Como você bem deve ter notado, todos esses elementos podem ser facilmente encontrados em um filme, não é mesmo? Para que o desenrolar da história seja um sucesso e esses itens tenham o devido peso, é importante contar com um bom roteiro, além de atuações impecáveis.

Como o cinema vem utilizando o storytelling?

Sim, o cinema já utiliza elementos do storytelling para envolver e cativar os espectadores. Você duvida? Então, confira a seguir uma análise sobre três filmes que estiveram na disputa pelo Oscar 2020.

História de Um Casamento

O filme da Netflix, dirigido por Noah Baumbach, recebeu nada menos que 6 indicações ao Oscar 2020. Um consenso geral sobre o longa girou em torno do roteiro factível e das atuações de Adam Driver e Scarlett Johansson, indicados nas categorias de Melhor Ator e Melhor Atriz.

Apesar de os Estados Unidos terem processos muito específicos sobre divórcio e definição de guarda, o filme fala sobre a complexidade de uma separação. Com isso, qualquer pessoa que já passou por um término pode se identificar. Essa é a importância de tratar sobre temas cotidianos na receita de um bom storytelling.

Parasita

O grande campeão do Oscar 2020 aborda muito claramente importantes aspectos sociais. A crítica apresentada é capaz não só de emocionar, mas também de trazer uma reflexão ao público.

Afinal, pautas como feminismo, racismo e ambientalismo também estão em voga na atualidade. Elas geram discussões calorosas e despertam o interesse de quem não quer ficar de fora das conversas sobre esses temas.

1917

Você deve estar se perguntando o que esse filme faz nesta lista, já que ele não aborda pautas sociais, muito menos situações cotidianas. Pois bem, a característica de storytelling de 1917 reside na criação da jornada do herói. 

O conflito a ser solucionado é muito bem-apresentado desde a primeira cena, o que nos leva a torcer pelos personagens principais ao longo de todo o filme. Em alguns momentos, a narrativa se parece inclusive com a de um videogame, o que talvez não seja uma coincidência, visto que esse formato também é muito louvado em sua habilidade de contar histórias.

O storytelling é uma prática certeira para quem quer cativar e envolver o público. Histórias cotidianas, pautas sociais e personagens bem construídos são alguns dos elementos que contribuem para a identificação das pessoas com a peça e ajudam no seu sucesso.

Gostou deste texto sobre storytelling no cinema? Para continuar acompanhando outros conteúdos como este, basta seguir a gente nas redes sociais: Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e LinkedIn.


Deixe seu e-mail e receba

Convite para eventos gratuitos, entrevistas e dicas, promoções e descontos

[mautic type="form" id="4"]