Retrospectiva 2016

Direção. Humor. Produção. Animação. Roteiro. Tecnologia. Crítica. Festivais. Esses são alguns dos assuntos que ganharam intensidade em 2016 na Academia Internacional de Cinema (AIC). O ano foi movimentado, com novos cursos, palestras com incríveis profissionais e participações de alunos e professores em festivais – uma contínua conversa sobre a prática do cinema que rendeu muitos novos filmes e inspirou quem passou por aqui.

CONVERSAS COM PROFISSIONAIS

Siga os links para saber mais sobre cada evento ou aula, ler alguns relatos, fotos, vídeos e entrevistas:

José Henrique - Foto: Divulgação
José Henrique – Foto: Divulgação

O ano começou com a Semana de Orientação, em fevereiro, evento gratuito e aberto ao público que, em São Paulo contou com a presença de Fernando Coimbra, diretor de “Lobo Atrás da Porta”, de Gabriel Mascaro, diretor de “Domésticas” e “Boi Neon”, Evaldo Mocarzel, diretor dos documentários “Mensageiras da Luz – Parteiras da Amazônia” e “Do Luto à Luta”, e no Rio de Janeiro com  Anita Rocha da Silveira, diretora de “Mate-me Por favor”, George Moura, roteirista de “Getúlio” e de “Gonzaga, de Pai para Filho”, e José Henrique Fonseca, diretor de “Heleno” e “O Homem do Ano”.

O novo curso de Roteiro de Humor (AIC-RJ), com grandes profissionais da área, rendeu também uma aula aberta via Facebook Live com os roteiristas do Casseta e Planeta (Helio de La Peña) e do Zorra (Gabriela Amaral, Haroldo Mourão e Ricardo Sarkis Alves).

Helio de la Pena - Foto: Divulgação
Helio de la Pena – Foto: Divulgação

O produtor Rodrigo Teixeira (de filmes nacionais e internacionais como “O Cheiro do Ralo”, “Alemão”, “O Casamento de Romeu e Julieta”, “Francis Ha”, “Mistress America”, “A Bruxa”) conversou com alunos e público nas duas unidades da AIC.

O grande James Schamus, roteirista e produtor que trabalhou com diretores como Paul Schrader, Sofia Coppola, e é um dos grandes parceiros de Ang Lee, para quem escreveu os roteiros de “Tempestade de Gelo” e “Aconteceu em Woodstock” e produziu o sucesso “O Segredo de Brokeback Mountain”, apresentou uma palestra para alunos e comunidade na sede da AIC do Rio de Janeiro.

Na metade do ano, a Semana de Cinema e Mercado em São Paulo (a edição do Rio não aconteceu por conta dos Jogos Olímpicos) recebeu o produtor Fabiano Gullane (“Carandiru”, “Que Horas ela Volta”, “O Lobo Atrás da Porta”), o grande crítico de cinema Rubens Ewald Filho, e dois profissionais da Cinecolor (Ariel Henrique e Samanta do Amaral), que falaram sobre suas especializações: áudio e cor.

Lauro Escorel, um dos mais icônicos diretores de fotografia do país (“Bye, Bye Brazil”, “Eles não usam black tie”, Toda nudez será castigada”), dividiu seus conhecimentos com a turma do curso de Direção de Fotografia Semestral, de São Paulo.

Mário Jannini, engenheiro eletrônico e diretor técnico da ARRI na América Latina, apresentou equipamentos cinematográficos de última geração para alunos do curso de Direção de Fotografia em São Paulo.

O animador brasileiro de Tim Burton, Matias Liebrecht, que se dividiu entre Rio e São Paulo para apresentar um workshop para os alunos da AIC.

Festivais, prêmios e alunos no mercado
Mostra Internacional - Foto: Divulgação
Mostra Internacional – Foto: Divulgação

Os festivais também estiveram presentes na agenda da AIC. Entre os festivais com filmes de professores e/ou alunos da AIC estão a Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o Festival do Rio, o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, o Festival de Brasília, o Festival de Gramado, a Mostra TiradentesFestival Internacional de Curtas de São Paulo, o Cine Fantasy, o Festival Latino Americano de São Paulo, a 7ª Brazilian Film Series de Chicago, nos Estados Unidos. Em cada um desses festivais nacionais, uma história, um filme, um papel na produção.

Alunos estiveram na 62ª edição do Festival de Oberhausen, na Alemanha, no My Rode Reel, no Festival Cinemística em  Granada, na Espanha; no Tlanchana Fest – Festival de Cine Y Arte Digital, no México; na Bienal Internacional de Vido Y Cine, no México, também; FECIBogtá – Feria Internacional de Cine Independiente de Bogotá, na Colômbia; teve gente na Suíça e até em Cannes. Apenas para citar alguns, numa lista difícil de montar, já que se espalha em colaborações e múltiplas funções nos sets e ao redor deles.

Dois professores foram finalistas do Prêmio Jabuti: Vanessa Pietro (professora de direção de atores do curso Filmworks/AIC-SP) na categoria Livro Infantil, e Fábio Weintraub (professor do curso de Criação Literária/AIC-SP) na categoria Poesia.

Atriz Maria Bopp em cena da série Me Chama de Bruna
Maria Bopp em “Me chama de Bruna” – Foto: Divulgação

Integrando equipes em sets, atuando em produtoras, distribuidoras, festivais, TV, encontramos alunos e ex-alunos nos mais diversos segmentos do mercado: dirigindo videoclipes de atores/músicos conhecidos, fazendo assistência de produção/direção de grandes projetos como a Vila Sésamo, escrevendo livro sobre Pasolini, estreando como atriz com sucesso arrebatador em série que retrata a vida de Raquel, antes de ficar nacionalmente conhecida como Bruna Surfistinha.

E você ficou com vontade de fazer parte dessa história? Ano que vem tem mais! Não fique de fora, participe!