“Los Silencios” selecionado para a Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes

Los Silencios
Beatriz, dirigindo, no Rio Amazonas.
Foto: Juliana Vasconcelos

 

“Los Silencios”, dirigido e roteirizado por Beatriz Seigner, ex-aluna da Academia Internacional de Cinema (AIC), selecionado para a Quinzena dos Realizadores do 71º Festival de Cannes, que acontece entre os dias 8 e 19 de maio. A Quinzena, que acontece paralelamente ao festival, costuma descobrir jovens cineastas.

O segundo longa da diretora, rodado no Rio Amazonas – na fronteira entre Brasil, Peru e Colômbia, conta a história de Amparo (Marleyda Soto), que lida com o desaparecimento da filha e do marido (Enrique Diaz), enquanto espera seus documentos para passar pela fronteira, fugindo dos conflitos armados na região.

Ao todo foram 20 filmes selecionados entre os mais de 1600 longas enviados. Entre os curtas, o Brasil será representado por “O Orfão”, dirigido por Carolina Markowicz.

Beatriz também é diretora do premiado “Bollywood Dream – O Sonho Bollywoodiano” (2010), seu primeiro longa totalmente filmado na Índia. Beatriz começou a carreira no teatro e aos 16 anos dirigiu seu primeiro curta-metragem. Ela estudou atuação para o cinema no Centro Sperimentale de Cinematografia, em Roma (Itália), começou faculdade de filosofia na USP e cursou o Intensivo de Cinema – Férias da AIC.

Conheça os 20 filmes (longas) selecionados:

  1. “Amin”, de Philippe Faucon
  2. “Carmen y Lola”, de Arantxa Echevarria
  3. “Climax” de Gaspar Noé

    los-silencios_still
    Em depoimento em sua página no Facebook a diretora diz: “Depois de 9 anos de trabalho, 37 editais públicos dos quais ganhamos 10, e perdemos 27, uma gravidez surpresa e filhote lindo nascido no caminho, muitas parcerias para levar pra vida toda, finalmente este filme vai chegar ao mundo, no maior festival de cinema deste planeta, tendo passado por uma seleção de 2 mil filmes dos quais apenas 20 são selecionados”.
  4. “Cómprame un revólver”, de Julio Hernández Cordón
  5. “Les Confins du monde”, de Guillaume Nicloux
  6. “El motoarrebatador”, de Agustín Toscano
  7. “En Liberté!”, de Pierre Salvadori
  8. “Joueurs”, de Marie Monge
  9. “Leave no trace”, de Debra Granik
  10. “Los silencios”, de Beatriz Seigner
  11. “The Pluto moment”, de Ming Zhang
  12. “Mandy”, de Panos Cosmatos
  13. “Mirai”, de Mamoru Hosoda
  14. “Le monde est à toi”, de Romain Gavras
  15. “Pájaros de verano”, de Ciro Guerra & Cristina Gallego
  16. “Petra”, de Jaime Rosales
  17. “Samouni Road”, de Stefano Savona
  18. “Teret”, de Ognjen Glavonic
  19. “Troppa grazia”, de Gianni Zanasi
  20. “Weldi”, de Mohamed Ben Attia

*Fotos Juliana Vasconcelos