“Elegia de um Crime”, do professor Cristiano Burlan, concorre no É Tudo Verdade

 

Mais uma vez o ex-aluno e professor da Academia Internacional de Cinema (AIC), o cineasta Cristiano Burlan, concorre na Mostra Competitiva Brasileira do Festival É Tudo Verdade. “Elegia de um Crime” conta sobre a morte de Isabel Burlan da Silva, mãe do diretor, assassinada pelo parceiro em 2011. O filme encerra a “Trilogia do Luto”, que aborda a trágica história da família.

Em 2013 Burlan venceu o mesmo festival com o segundo filme da trilogia, “Mataram meu Irmão”.

“A ‘Trilogia do Luto’ que se inicia em 2007, quando realizei o documentário ‘Construção’ em homenagem a meu pai que havia falecido de forma até hoje pouco esclarecida. O segundo filme da trilogia chama ‘Mataram meu irmão’ onde reconstituo os detalhes da morte de meu irmão, Rafael Burlan da Silva, ocorrido em 2001. Me lancei numa jornada pessoal que me conduziu ao coração de um círculo de violência em torno dos bairros da periferia paulistana – como o Capão Redondo, onde morava com minha família e meu irmão. Ele tinha 22 anos quando foi brutalmente assassinado com sete tiros pelas costas. Para fechar a trilogia embarco agora numa viagem vertiginosa e investigativa na construção deste documentário que dou o título de ‘Elegia de um Crime’. O documentário se inicia nos primórdios da tragédia que assolou minha família. Fomos até Porto Alegre e a partir de uma pesquisa prévia, fizemos entrevistas com familiares e amigos e percorreremos locais e ambientes que fizeram parte da infância de minha mãe e de minha própria família”, conta Burlan.

A 23ª edição do festival acontece de 12 a 22 de abril, em São Paulo e no Rio de Janeiro e traz a nova safra do documentário brasileiro e internacional. “Adoniran – Meu nome é João Rubinato” abre o festival em 11 de abril em São Paulo e “Caravana”, em 12 de abril, no Rio de Janeiro.

A Competição Brasileira de Longas ou Médias-Metragens apresentará sete filmes – todos em estreia no país, além de “Elegia de um Crime” de Cristiano Burlan estão: “Auto de Resistência” de Natasha Neri e Lula Carvalho, “Che, memórias de um ano secreto” de Margarita Hernandez, “Espera” de Cao Guimarães, “Ex-Pajé” de Luiz Bolognesi, “Missão 115” de Silvio Da-Rin e “Neville D’Almeida – Cronista da Beleza e do Caos” de Mario Abbade.

A cineasta americana Pamela Yates, uma das mais importantes documentaristas americanas dedicadas a temas relacionados aos direitos humanos e à América Latina, é a homenageada de 2018. Também serão disponibilizados no site do Itaú Cultural os filmes de cinco diretoras brasileiras que marcaram a história do festival. A mostra on-line ficará disponível entre os dias 17 a 22 de abril.


Deixe seu e-mail e receba

Convite para eventos gratuitos, entrevistas e dicas, promoções e descontos