ANCINE lança estudo inédito sobre gênero cinematográfico e apresenta dados de bilheteria de 2018

Informações foram extraídas do Sistema de Controle de Bilheteria, o único sistema boxoffice do mundo com dados de exibição por sessão

Em comemoração aos 10 anos do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual, a Agência Nacional do Cinema – ANCINE apresentou nesta segunda-feira, 12 de novembro, dois trabalhos inéditos: o estudo sobre gêneros cinematográfico dos filmes lançados entre 2009 e 2017 em salas de exibição; e dados por sessão do Sistema de Controle de Bilheteria – SCB.

Pela primeira vez, serão publicados, no formato de painel interativo, dados de bilheteria por sessão do parque exibidor brasileiro. “Com essa granularidade de dados, é possível observar a oferta e o resultados dos filmes brasileiros e estrangeiros por faixa horária em que as sessões iniciaram. É possível ainda, analisar a distribuição
de cada filme pelos municípios brasileiros, assim como os dias da semana em que se obteve os melhores resultados e o market share por grupo exibidor”, avalia o diretor-presidente da ANCINE, Christian de Castro, na abertura do evento. Na ocasião, Christian apresentou também a campanha publicitária da ANCINE de valorização do
audiovisual.

Os dados por sessão foram viáveis a partir do Sistema de Controle de Bilheteria (SCB), medida inovadora da ANCINE, que detém a coleta e as análises de dados primários extraídos dos exibidores. “O SCB é o único sistema boxoffice do mundo com dados de exibição por sessão. Com isso, uma melhora regulatória tornou-se possível através
desse novo Sistema de aferição, que é bechmarking mundial”, explica a Superintendente de Análise de Mercado, Luana Rufino.

O estudo sobre gêneros cinematográfico dos filmes lançados entre 2009 e 2017 agrega os lançamentos em sete categorias de gênero cinematográfico (Ação, Animação, Aventura, Comédia, Documentário, Drama e Terror) e analisa dados de bilheteria, participação de mercado, quantidade e escala de lançamentos, financiamento público, além de uma comparação com dados de cinema da Coreia do Sul.

Entre outros dados, a apresentação irá mostrar que a participação dos gêneros aventura e animação somados representam mais da metade dos resultados de bilheteria do mercado de salas de cinema. Além disso, o estudo demonstra que para além da comédia, os filmes brasileiros também são competitivos, em relação aos filmes estrangeiros, nos gêneros ação e drama.

O estudo analisa a distribuição do financiamento público federal entre os gêneros cinematográfico dos filmes lançados, e estima o volume de recursos necessários para que a cinematografia brasileira se assemelhe à sul coreana em termos de diversidade e quantidade de gêneros lançados em salas de cinema.

O trabalho realizado foi apresentado pelos servidores Cainan Baladez, coordenador do Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual e Braulio Barbosa, coordenador substituto da Coordenação de Monitoramento de Cinema, Vídeo Doméstico e Vídeo por Demanda.

Sobre o OCA

O Observatório Brasileiro do Cinema e do Audiovisual (OCA), criado em dezembro de 2008, tem por objetivo a difusão de dados e informações qualificadas produzidas pela Agência Nacional do Cinema (ANCINE). Dessa forma, sua atuação encontra-se em consonância com o objetivo estratégico da ANCINE de “aprimorar a geração e
disseminação de conhecimento do Setor”.

O recolhimento de dados é resultado direto do trabalho de fomento, regulação e fiscalização da ANCINE. As informações são fornecidas pelos próprios agentes de mercado com base nas respectivas obrigações legais, consolidadas pelas diferentes áreas da agência e disponibilizadas à sociedade pelo OCA.

Matéria publicada no site Ancine

*Foto Dani Botelho


Deixe seu e-mail e receba

Convite para eventos gratuitos, entrevistas e dicas, promoções e descontos