Waldir Xavier

Estudou Jornalismo, Filosofia e formou-se em Cinema na Universidade Paris VII, na França. Trabalha em cinema como montador (imagem e som) tendo assinado a edição de som de mais de 60 longa-metragens. Viveu na França por 15 anos e, especializado em coproduções internacionais, trabalhou em vários países como o Egito, Portugal, África do Sul, Estados Unidos, Dinamarca, Alemanha e México, tendo colaborado com cineastas como Youssef Chahine, Pedro Costa, Walter Salles, João Botelho, Yousry Nasrallah, Karim Aïnouz e Marcelo Gomes. Como editor de som, Waldir Xavier recebeu três vezes o prêmio de melhor som no Festival de Havana, Cuba, por seus trabalhos em “Viajo porque preciso, volto porque te amo” (2009), “Abismo Prateado” (2011) e “Praia do Futuro” (2014). Em 2015, assinou a edição de som de “Desde Allá” de Lorenzo Vigas, filme venezuelano que  ganhou o leão de Ouro do Festival de Veneza.

*Professor FILMWORKS - RJ

CURSOS EM QUE ATUA

Formação Livre em Edição

Formação Livre

Formação Livre em Edição

Um ano de prática na ilha de edição: venha se tornar um profissional da edição com excelente domínio técnico, cinematográfico e artístico

180h | 60 encontros

12x de R$ 666,58 ou 10% de desconto à vista até 19/12/2018

Formação Livre em Edição

Formação Livre

Formação Livre em Edição

Um ano de prática na ilha de edição: venha se tornar um profissional da edição com excelente domínio técnico, cinematográfico e artístico

180h | 60 encontros

12x de R$ 666,58 ou 10% de desconto à vista até 19/12/2018

Notícias relacionadas

Retrospectiva 2017

Retrospectiva 2017

Mais um ano chegando ao fim. 2017 foi um ano de intensa produção nas duas unidades da Academia Internacional de Cinema (AIC): São Paulo e Rio de Janeiro. Teve muito curta-metragem e documentário saindo do forno, prontos para fazer carreira nos festivais desse mundão. Também teve produção, direção de arte, roteiro, atuação e muito debate, […]

Retrospectiva 2018

Retrospectiva 2018

2018 foi intenso – entre Copa e Eleições, a Academia Internacional de Cinema (AIC) teve um ano movimentado e de muitas produções. O ano começou com uma produção nacional diversa, os jornais mostrando o crescimento do cinema brasileiro – num ritmo maior que a economia nacional. Nesse contexto, os filmes de professoras, professores, alunas e […]