Pedro Bronz

Trabalha com edição audiovisual desde 1993. Trabalhou como assistente de grandes montadores do cinema e da TV. Fez parte da primeira geração de operadores de AVID em 1995, ano que o equipamento começou a operar no Brasil. Posteriormente começou a editar. A partir daí buscou sempre trabalhar com diferentes linguagens, para uma diversidade de produtoras, emissoras de TV e diretores: Cinema-ficção, documentário, programas de tv, vídeo-clip, comerciais e institucionais fazem parte do currículo. Em 2012 colabora na criação da EDT, primeira associação de montadores do Brasil. Alguns dos trabalhos realizados como montador: "Getúlio" de João Jardim, "Nise" de Roberto Berliner, "Pequeno Dicionário Amoroso 2" de Sandra Werneck, "Disparos" de Juliana Reis    (prêmio de melhor montagem Festival do Rio) e "Simonal" de Leonardo Domingues. Para a TV editou as séries "Me Chama de Bruna" (FOX), "Histórias de Adoção" (GNT) entre outros.











CURSOS EM QUE ATUA

Formação Livre em Edição

Formação Livre

Formação Livre em Edição

Um ano de prática na ilha de edição: venha se tornar um profissional da edição com excelente domínio técnico, cinematográfico e artístico

180h | 60 encontros

10x de R$ 786,90 ou 5% de desconto à vista até 14/08/2018

Formação Livre em Edição

Formação Livre

Formação Livre em Edição

Um ano de prática na ilha de edição: venha se tornar um profissional da edição com excelente domínio técnico, cinematográfico e artístico

180h | 60 encontros

10x de R$ 786,90 ou 5% de desconto à vista até 14/08/2018

Notícias relacionadas

Retrospectiva 2017

Retrospectiva 2017

Mais um ano chegando ao fim. 2017 foi um ano de intensa produção nas duas unidades da Academia Internacional de Cinema (AIC): São Paulo e Rio de Janeiro. Teve muito curta-metragem e documentário saindo do forno, prontos para fazer carreira nos festivais desse mundão. Também teve produção, direção de arte, roteiro, atuação e muito debate, […]

Quero Trabalhar com Som no Cinema

Quero Trabalhar com Som no Cinema

*Por Katia Kreutz e equipe da Academia Internacional de Cinema O cinema começou mudo. Durante cerca de duas décadas, após a primeira exibição cinematográfica pelos irmãos Lumière, criadores recorreram a narrativas que dispensavam o uso de diálogos e efeitos sonoros, transmitindo informações apenas por meio de imagens, gestos e letreiros explicativos. Quando o som finalmente […]