Marcelo Moraes

Formado em Comunicação Social na UFRJ, montou comerciais para tv de 1988 a 1999, quando editou seu primeiro documentário, "A Era dos Campeões", dirigido por Marcos Bernstein e Cesário Mello Franco. Nos anos seguintes montou vários docs do Evaldo Mocarzel, entre eles "À Margem da Imagem" e "Do Luto à Luta", tendo ganhado prêmios no Brasil e no exterior.

Estreou na ficção com "O Outro Lado da Rua", de Bernstein, vencedor da Mostra Panorama do Festival de Berlim de 2004. Em 2008 ganhou o prêmio da Academia Brasileira de Cinema pela montagem do filme "Meu Nome Não é Johnny". Nesse mesmo ano, ganhou o prêmio de melhor edição no NoSpot New York Festival, com o curta-metragem "Tarantinos Mind".

Em 2009 ganhou o Festival de Miami com o filme "Salve Geral", de Sérgio Rezende, com quem também trabalhou em "Zuzu Angel".

Na tv montou várias series, entre elas "Mandrake", "Mulher Invisível" e "Um Contra Todos", cujo ator principal, Julio Andrade foi indicado ao Emmy Internacional de melhor ator em 2017.

Atualmente soma mais de 40 títulos em seu portfólio, entre eles os maiores sucessos de bilheteria brasileiros, como "De Pernas Pro AR", "Os Homens São de Marte", "Loucas Para Casar" e "Minha Minha Mãe é Uma Peça".

CURSOS EM QUE ATUA

Formação Livre em Edição

Formação Livre

Formação Livre em Edição

Um ano de prática na ilha de edição: venha se tornar um profissional da edição com excelente domínio técnico, cinematográfico e artístico

180h | 60 encontros

12x de R$ 666,58 ou 10% de desconto à vista até 19/11/2018

Formação Livre em Edição

Formação Livre

Formação Livre em Edição

Um ano de prática na ilha de edição: venha se tornar um profissional da edição com excelente domínio técnico, cinematográfico e artístico

180h | 60 encontros

12x de R$ 666,58 ou 10% de desconto à vista até 19/11/2018

Notícias relacionadas

Retrospectiva 2017

Retrospectiva 2017

Mais um ano chegando ao fim. 2017 foi um ano de intensa produção nas duas unidades da Academia Internacional de Cinema (AIC): São Paulo e Rio de Janeiro. Teve muito curta-metragem e documentário saindo do forno, prontos para fazer carreira nos festivais desse mundão. Também teve produção, direção de arte, roteiro, atuação e muito debate, […]

Quero Trabalhar com Som no Cinema

Quero Trabalhar com Som no Cinema

*Por Katia Kreutz e equipe da Academia Internacional de Cinema O cinema começou mudo. Durante cerca de duas décadas, após a primeira exibição cinematográfica pelos irmãos Lumière, criadores recorreram a narrativas que dispensavam o uso de diálogos e efeitos sonoros, transmitindo informações apenas por meio de imagens, gestos e letreiros explicativos. Quando o som finalmente […]