Felippe Schultz Mussel

Diretor de Som e Documentarista. Como técnico de som direto e editor de som, é responsável por de mais de 30 obras do cinema brasileiro recente, com destaque para os longas-metragens A Alegria (2010, de Felipe Bragança e Marina Meliande), Riscado (2010, de Gustavo Pizzi), Morro dos Prazeres (2013, de Maria Augusta Ramos), Alemão (2014, de José Eduardo Belmonte), Aspirantes (2015, de Ives Rosenfeld), Divinas Divas (2017, de Leandra Leal), A Febre (2019, de Maya Da-Rin). Dirigiu o documentário Em busca de um lugar comum (2012). Possui Mestrado em Cinema pela Universidade Federal Fluminense. É professor do Departamento de Comunicação Social da PUC-Rio. 

Notícias relacionadas

“MEIA HORA E AS MANCHETES QUE VIRAM MANCHETE”, produzido pelo professor Felippe Schultz Mussel, estreia dia 6 de agosto nos cinemas

“MEIA HORA E AS MANCHETES QUE VIRAM MANCHETE”, produzido pelo professor Felippe Schultz Mussel, estreia dia 6 de agosto nos cinemas

“Meia Hora e as manchetes que viram manchete”, filme sobre o tabloide que causa sensações no jornalismo carioca, produzido pelo professor Felippe Schultz Mussel, (que coordenada o curso de documentário da Academia Internacional de Cinema do Rio de Janeiro) estreia no próximo dia 6, em São Paulo no Cine Caixa Belas Artes e no Rio, […]

Quero Fazer Documentários

Quero Fazer Documentários

*Por Katia Kreutz e equipe da Academia Internacional de Cinema Você gosta de documentário, ou pelo menos sabe o que caracteriza esse tipo de filme? Uma visão sobre a atualidade, um tratamento criativo da realidade? Ambas as coisas? É o que vamos descobrir neste artigo – em sua essência, também um pouquinho documental. Deixe seu […]

A AIC no Festival de Brasília

A AIC no Festival de Brasília

O Festival de Brasília é considerado um dos mais importantes do Brasil, é o mais antigo evento dedicado ao cinema nacional no país. Os números são grandes e expressam sua importância no cenário brasileiro; o festival recebeu 132 inscrições de longas e todos os filmes finalistas são inéditos no país, já entre as produções selecionadas de curta […]

Alfredinho, de Copacabana, para a Suíça

Alfredinho, de Copacabana, para a Suíça

Dentre os curtas produzidos no primeiro ano da Academia Internacional de Cinema (AIC) do Rio de Janeiro, “Alfredinho”, um documentário sobre um curioso personagem de Copacabana, entra em seu primeiro festival, o FIFF – Festival International de Film de Fribourg, e de cara já recebe seu primeiro prêmio, o CH Cinema Network Prize, um prêmio dado […]

Professores no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2015

Professores no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2015

Ontem aconteceu a décima quarta edição do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro e dentre os vencedores e finalistas, muitos filmes que contaram com o trabalho e a participação de professores da Academia Internacional de Cinema (AIC). A professora Karen Akerman recebeu o prêmio de Melhor Montagem de Ficção por “O Lobo Atrás da Porta”, dirigido por Fernando […]