ESCOLHA

Seja um ator de cinema

O objetivo do curso de Interpretação para Cinema é analisar e refletir sobre os aspectos técnicos e artísticos que compõem a linguagem do cinema a partir da perspectiva do ator. O ator é peça central na narrativa cinematográfica: os elementos estéticos e estilísticos dialogam com ele, criando nuances, pontuando e intensificando sua performance dentro de todo o contexto narrativo.

O curso fornece instrumentos para que o ator tenha a compreensão prática e teórica da relação entre diretor e ator num set de filmagem. Faz uma análise introdutória das escolas de interpretação dentro do contexto histórico do cinema e seus desdobramentos. A direção de “não-atores” e suas especificidades. Analisa o perfil do ator, construção de um perfil de personagem, casting e mise en scène.

Interpretação para cinema tem técnicas e exigências específicas adequadas a um set de filmagem e à linguagem fílmica. Leva em consideração fotografia, movimentos de câmera, continuidade e uma série de elementos de produção. O ator de cinema atua, de certa forma, no vazio: ele não tem como saber exatamente o que vai aparecer na tela, que ângulos de câmera, sons, efeitos serão usados na montagem do filme até que este seja finalizado. Entender e adaptar-se a esse contexto é fundamental. O ator de cinema tem de ter controle sobre sua performance ao longo de horas de interrupções próprias de uma produção, rodando cenas entrecortadas ao longo do tempo, tem de ter domínio emocional, concentração, confiança no diretor e no trabalho da equipe, e uma postura profissional adequada às demandas do trabalho.

O curso de Interpretação para o Cinema guia o aluno dentro desse universo e sua linguagem específica, dando um panorama profissional e preparando o ator para o trabalho no set, ao mesmo tempo que desenvolve e amplia seus conhecimentos, experiências e técnicas de interpretação.

GRADE CURRICULAR

• Diagnóstico e perspectivas

• Estratégias de abordagem do papel / personagem
• Primeiro cinema: Relações ator-espectador / ator-diretor / ator-personagem / ator-dispositivo

• Particularidades do jogo do ator no cinema

• Méliès e Mack Sennet : ator e personagem como instâncias separadas

• Charles Chaplin e o “aparecer” do ator
• Griffith e a busca do “parecer”

• Chaplin : ator stanislavsko-brechtiano
• O olhar para a câmera : herança teatral

• Jogo e gênero : o corpo em melodramas, corpo patológico
• A estrela no centro: o corpo em musicais: corpo superhumano

• Atores e estrelas
• Strasberg, Kazan e os atores do Método

• O sucesso dos biopics : o ator por detrás do personagem

• Rossellini/Ingrid Bergman (Stromboli): o momento da virada, fundação de um novo star system • Bergman/Harriet Andersson (Monika e o desejo): filmar o objeto de desejo. • A sobrevivência da forma em torno do ator: Acossado e Os incompreendidos

• Atom Egoyan: atualizando o modo de filmar o objeto de desejo (Calendar)
• Truffaut, Godard, Jean-Pierre Léaud, Louis Garrel, Tsai Ming Liang: corpo como “desejo de fraternidade”
• Bresson e o automatismo

• Novos paradigmas de interpretação
• Godard e o retorno às origens do cinema
• Bergman : rosto-alma e rosto-tela
• A entrevista do ator-personagem

• Em busca de um star system à brasileira: a supremacia da televisão
• Gestos do cinema marginal: Helena Ignez e Paulo César Pereio: o corpo como instrumento de quebra da transparência

• Novo perfil dos atores de cinema brasileiros

• Bressane e a recuperação do “aparecer”

• Ecos Autorais

• A construção do texto pelo ator

• Exercícios dramatúrgicos

• A fricção entre o que se quer dizer e o que se diz

OS MELHORES PROFISSIONAIS ENSINAM NA AIC

Selecione a Unidade e Horário
para exibir Corpo Docente, Estrutura e Investimento


SELECIONE A UNIDADE E HORÁRIO
Para exibir Corpo Docente, Estrutura e Investimento