Vencedores do Filmworks Film Festival 2015

IMG_4881

Contagiante perceber a sinergia das equipes e convidados… Esse era o clima do 6º Filmworks Film Festival, o festival exclusivo da Academia Internacional de Cinema (AIC) que premia os melhores filmes produzidos por alunos e ex-alunos do Filmworks.

Melhor do que o ambiente inebriante de um festival de cinema é perceber a sinergia das equipes: quase como um almoço de família ou como o time vitorioso pós partida de futebol. Esse era o clima do 6º Filmworks Film Festival, o festival exclusivo da Academia Internacional de Cinema (AIC) que premia os melhores filmes produzidos por alunos e ex-alunos do Filmworks – o Curso Técnico de Direção Cinematográfica da escola. A exibição dos 26 filmes concorrentes aconteceu entre os dias 21 e 22 no Reserva Cultural em São Paulo, e contou com a presença de alunos, ex-alunos, familiares, professores e convidados.

O Melhor Filme

O prêmio de Melhor Filme foi para “Vidas Ausentes”, que conta a história de Rosa, uma imigrante boliviana que trabalha em uma fábrica de costura clandestina em São Paulo.

O prêmio de Melhor Filme foi para “Vidas Ausentes”, que conta a história de Rosa, uma imigrante boliviana que trabalha em uma fábrica de costura clandestina em São Paulo.

Foi neste clima que Ronaldo Dimer e sua equipe subiram ao palco, no dia 23, para receber o prêmio mais esperado do festival, o de Melhor Filme. “Armat Jakawinaka - Vidas Ausentes”, que participou da Mostra de Tiradentes no começo do ano, trata sobre um assunto polêmico: trabalho escravo e imigração. O filme conta a história de Rosa, uma imigrante boliviana que trabalha em uma fábrica de costura clandestina em São Paulo e descobre que está grávida.

“Este filme foi feito com pouco recurso e muito trabalho da equipe. A premiação, de alguma maneira, nos indica que essa dedicação não foi em vão e o filme chegou ao público. Também existe nosso compromisso com as pessoas que apoiaram a produção do filme e, levá-lo ao reconhecimento, é uma forma de agradece-las pela confiança que tiveram em nosso trabalho. Agradeço principalmente aos nossos atores que se dedicaram profundamente ao projeto e que pela primeira vez (com exceção da Verônica que já esteve em Tiradentes) estiveram em contato com o público em um festival de cinema. A nossa alegria foi enorme, já que o festival contava com filmes muito bons, não esperávamos que pudesse ser tão bem recebido pelo júri”, conta Ronaldo.

Além de Melhor Filme, o curta também ficou com os prêmios de Melhor Direção e Melhor Roteiro.

Os Vencedores

Os Vencedores!

Os Vencedores!

  • Sonho Sobre Metrópole”, de Bruno Prada, recebeu dois prêmios, Melhor Montagem e Melhor Som;
  • Gabriela Godoi recebeu o prêmio de Melhor Direção de Arte por “Criptonita”;
  • Luiz Augusto Moura recebeu o prêmio de Melhor Direção de Fotografia, por “Olhos de Argila”;
  • Boi”, de Vinicius Del Duque, ficou com o prêmio New Vision;
  • Leona Jhovs recebeu o prêmio de Melhor Atriz, por sua interpretação em “Lúcia”;
  • Rodrigo Fidelis recebeu o prêmio de Melhor Ator, por sua atuação em “Habitar”;
  • Bong!”, de William Mur, foi eleito o Melhor Filme pelo Júri Popular.

William Mur, que não estava presente para receber o prêmio, pediu para a mãe representá-lo. Mal sabia ele que ela emocionaria a plateia falando sobre o amor do filho pelo gênero comédia. Ela contou que ele não esperava ser premiado.

“Fiquei muito feliz pelo prêmio do ‘BONG!’. Eu já tinha o argumento do filme há alguns anos mas durante o curso li um livro sobre o criador dos Muppets, Jim Henson, e, de repente, o que era para ser filmado com pessoas se tornou uma animação com fantoches. Todos os efeitos visuais e cenários foram criados ao vivo nos estúdios da escola. As dificuldades de fazer esse tipo de animação são únicas e fico agradecido pela AIC e pela equipe ter embarcado no projeto. Durante a produção do curta, meu pai contraiu câncer e faleceu, mesmo assim nenhum membro da equipe desanimou. Minha mãe participou da produção criando alguns adereços e de certa forma fazer o filme foi uma terapia para mim e para ela. Não pude ir na cerimônia de entrega pois estava trabalhando mas ela me representou. Tanto ela quanto meu pai alimentaram o deslumbramento que tenho pelo cinema. Gosto de pensar que o cinema é capaz de nos fazer deixar por um instante a gravidade e levitar, com humor e delicadeza”, conta William.

Os Prêmios

Troféus do FWFF 2015 entregues para as 11 categorias vencedoras.

Troféus do FWFF 2015 entregues para as 11 categorias vencedoras.

A seleção ficou por conta de um júri composto por experientes profissionais atuantes no mercado, entre eles: Angélica Oliveira, curadora e produtora da Première Brasilo do Festival do Rio, Antônio Carlos da Fontoura, diretor de longas como ” Somos tão Jovens” e os professores André Moncaio (AIC- SP) e Rodrigo Fonseca (AIC- RJ), que estava em Cannes quando assistiu aos filmes dos alunos.

Além dos troféus, os vencedores receberam prêmios dos parceiros do festival. A Cinecolor premiou a vencedora de Direção de Arte com uma diária de Color Corrector, a Universo Imagens presenteou o vencedor de Melhor Filme – Júri Popular com 3 diárias de kit de filmagem, a Elitecam premiou o  vencedor de Melhor Fotografia com 4 diárias de kit de filmagem (Black Magic), a Casa da Sogra premiou o Melhor Som com uma uma finalização de som, a Pond 5 premiou o vencedor da Melhor Montagem com um vale de U$ 300 para ser utilizado no site, a Companhia das Letras forneceu 2 kits de livros para os vencedor de Melhor Roteiro, a Livraria Cultura também cedeu 2 kits de livros para os vencedores dos prêmios de Melhor Ator e Atriz, a Imovision presenteou os vencedores das categorias New Vision e Melhor Diretor com 2 kits de 20 filmes e a Locall premiou o Melhor Filme com um vale locação de equipamento no valor de R$ 4 mil.

*Fotos: Yuri Pinheiro