“Teatro pra Quem” e Lars von Trier

O curta “Teatro pra Quem”, com roteiro de Celso Vilalba, dirigido por Michel Dubret e  Alethea Miranda, ex-aluna da Academia Internacional de Cinema,  foi um dos filmes selecionados (entre mais de 500 inscritos) para compor o longa-metragem “Desastres 501: o que Aconteceu com o Homem”, obra que integra o projeto artístico Gesamt idealizado por Lars von Trier.

Há alguns meses, o cineasta dinamarquês  abriu chamada a artistas do mundo todo para o projeto Gesamt, uma instalação coletiva feita a partir dos curtas-metragens selecionados no projeto. Para participar, era preciso que o candidato enviasse um filme de cinco minutos que fizesse uma releitura audiovisual de um dos seis artistas escolhidos por Trier, entre eles o escritor James Joyce, o pintor Paul Gauguin, o arquiteto alemão Albert Speers (ministro na época do Terceiro Reich) e o dramaturgo sueco August Strindberg. Todos os artistas-chave do projeto foram escolhidos por sua representatividade do mundo contemporâneo. É justamente uma visão do nosso tempo que Lars von Trier espera oferecer com essa “obra-prima coletiva”.

“Teatro pra Quem” foi inspirada na peça “Pai”, de August Strindberg, um dos fundadores do chamado teatro expressionista da Suécia. A peça trata de maneira intimista a disputa entre um pai e uma mãe sobre a carreira que sua filha deveria seguir, se professora ou pintora, sem que se importem com as vontades e a vocação da menina. Com esse tema, Strindberg trata de questões mais amplas, como a família desfuncional e a disputa de poder entre homens e mulheres.

Gesamt estreia e ficará exposto a partir do dia 12 de outubro no Festival de Arte de Copenhague, na Dinamarca.

* Foto: Still de “Teatro pra Quem”.