Renata Almeida diz que a Sala de Cinema nunca deixará de existir

T20A1250baixaRenata Almeida, diretora da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, palestrante convidada da Semana de Cinema e Mercado, esteve na Academia Internacional de Cinema (AIC) na segunda (3) em São Paulo e na quarta-feira (5) no Rio de Janeiro. Renata falou sobre a Mostra e sobre a importância dos festivais.

A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Renata trouxe novidades sobre a 39ª edição da Mostra, que acontece entre 22 de outubro e 04 de novembro e homenageia a organização sem fins lucrativos de Scorsese, a The Film Foundation, que há 25 anos se dedica a preservar e proteger a história do cinema. Contou que uma seleção de títulos restaurados com financiamento da fundação e da World Cinema Project será apresentada no evento.

Renata também contou um pouco de como tudo começou. Criada em 1977 pelo crítico de cinema Leon Cakoff para celebrar os 30 anos de fundação do Museu de Arte de São Paulo, a primeira edição exibiu 16 longas-metragens e sete curtas (de 17 países). “Quando a mostra começou, na época da ditatura, exibimos pouco mais de 20 filmes. Éramos uma gota no deserto. Hoje é o oposto, vivemos num oceano, recebemos uns 1200 filmes e exibe em torno de 200. A mostra é uma espécie de orientação para quem está perdido nesse oceano, a gente dá um recorte, como se fossemos um amigo que indica um bom filme”, disse Renata.

Os Festivais

T20A1290baixaRenata também falou sobre a importância de enviar os filmes para os festivais, mas, sem criar expectativas. “O mais importante é você ir onde foi chamado, não importa o tamanho do festival. Você precisa estar onde querem você, onde querem seu filme”.

Além de enviar o filme pronto, ressaltou os festivais que recebem filmes que ainda não foram finalizados e investem na finalização dos projetos.

Outras Janelas

Por fim, outro tema abordado foi o tempo de exibição das janelas que antigamente possuíam um intervalo muito claro. Primeiro o filme era lançado no cinema e depois de alguns meses era lançado em DVD. “Hoje o filme fica algumas semanas no cinema e em seguida é lançado nos canais de VOD. A tendência é que no futuro seja lançado no cinema e nas plataformas. Esse é o jeito de alcançar mais pessoas. Hoje, alguns filmes são feitos especificamente para essas outras janelas, nem vão para o cinema, são diretamente na TV ou no Netflix. Mas, a sala de cinema nunca vai deixar de existir, pois somos seres sociais, gostamos de gente, do sentimento de pertencimento”, disse.

*Fotos Duda Tavares