Mário Jannini Diretor Técnico da ARRI Brasil na AIC

O mês de junho foi de grande agitação na Academia Internacional de Cinema (AIC) de São Paulo. Os alunos do Curso de Direção de Fotografia Semestral puderam conhecer e manusear equipamentos de ponta, que são utilizados na indústria cinematográfica do mundo todo. E o responsável por proporcionar essa experiência é o Engenheiro Eletrônico e hoje Diretor Técnico da primeira filial da ARRI na América Latina, Mário Jannini, durante sua palestra para a turma.

O ENCONTRO

“A ideia era colocar os alunos em contato com uma tecnologia utilizada nos principais filmes hollywoodianos ou na maioria dos filmes feitos pelo mundo, incluindo o Brasil”, comenta Jannini.

Mário Jannini, Direto Técnico da ARRI do Brasil, apresentando os equipamentos para a turma do Curso de Direção de Fotografia Semestral da AIC

Mário Jannini, Diretor Técnico da ARRI do Brasil, apresentando os equipamentos para a turma do Curso de Direção de Fotografia Semestral da AIC

O FOTÓGRAFO

No workshop que ministrou aos alunos, Mário Jannini enfatizou ainda que os “Ks” não ditam a regra do que é melhor ou pior, é preciso levar em consideração outras variáveis, como por exemplo, o HDR (High Dynamic Range, ou pode-se dizer: latitude ou alto alcance dinâmico) é muito mais importante do que somente a resolução em si. Ele cita o filme “O Regresso”, no qual muitas das cenas utilizam além da ALEXA 65 de 6K, câmeras ALEXA XT, que capturam em 2.8K e o resultado é impressionante. “Sobre o LED é a mesma coisa, não podemos somente achar que pelo simples fato de ter um refletor LED no set, você está bem… a ARRI utiliza LEDs calibrados por computador de primeira linha, na configuração RGBW (vermelho, verde, azul e branco), com isso se obtém uma luz de excelente qualidade e porque não falar uma sombra de excelente qualidade”.

Mário sabe que o fotógrafo é mais importante que a câmera utilizada, “mas se ele tiver o dom e o conhecimento sobre o equipamento, as imagens ficarão de tirar o fôlego”. Como último e mais importante recado, Jannini aconselha a todos os futuros diretores de fotografia que continuem estudando e se aprimorando para se tornarem grandes profissionais, pois sua contribuição será estar ao lado deles nessa ascensão, ajudando-os e incentivando-os a serem sempre melhores.

A ARRI

Considerada a maior fabricante de equipamento cinematográfico do mundo, está presente no cinema há 99 anos, fazendo câmeras

AMIRA - Uma das câmeras da empresa ARRI, apresentadas à turma

AMIRA – Uma das câmeras da empresa ARRI, apresentadas à turma

digitais, equipamento de iluminação, lentes, acessórios de câmera, e mais recentemente sistemas de estabilização de imagem. Com um mercado cinematográfico em expansão, o Brasil não poderia ficar de fora, a ARRI abriu sua primeira filial por aqui em 2016, oferecendo suporte técnico de pré e pós-venda, manutenção das câmeras (ALEXA, ALEXA Mini e AMIRA) e dos equipamentos de iluminação (linha LED, HMI e os fresneis de tungstênio) e futuramente, pretende dar treinamentos. Para os alunos, Mário apresentou a. AMIRA e o SkyPanel S60-C.

Vale mencionar que os últimos cinco filmes que conquistaram o OSCAR de melhor fotografia foram feitos com câmeras ARRI. No Festival de Cannes, quase 75% dos filmes da competição foram filmados com a ALEXA, “uma câmera de cinema digital, onde o principal diferencial é a textura de imagem, a reprodução de tom de pele, a latitude da câmera, ou seja, a capacidade de capturar todos os aspectos da imagem seja em cor ou em diferentes níveis de luz”, afirma Mário.

*Fotos: Beatriz Takata