Mais um filme de Cristiano Burlan estreia no É Tudo Verdade

Fotografia, tirada nos intervalos entre as cenas do longa "Sinfonia de um homem só", conduzem o enredo de "Cidade Vazia".

Fotografia, tirada nos intervalos entre as cenas do longa “Sinfonia de um homem só”, conduzem o enredo de “Cidade Vazia”.

“Cidade Vazia”, curta-metragem do professor Cristiano Burlan, estreia no É Tudo Verdade 2015 e concorre na Mostra competitiva do festival. O curta, realizado a partir de fotografias em película PB, é sobre os instantes em que São Paulo adormece.

“As fotografias foram tiradas nos intervalos entre as cenas do meu longa-metragem ‘Sinfonia de um homem só’ (2012). Sempre tive o desejo de montar um filme com essas fotos. Elas revelam uma São Paulo adormecida, difícil de capturar. Tenho uma relação de amor e ódio com essa cidade, já perdi e conquistei muitas coisas aqui. Num primeiro olhar, São Paulo é uma cidade muito feia, mas quando se caminha por ela é possível encontrar muita beleza e poesia. Essa cidade é, como Caetano muito bem falou, um lugar onde se ergue e se destrói coisas belas”, conta Burlan.

Com mais de 15 filmes no currículo, entre ficção e documentários, seu último documentário de longa-metragem, “Mataram Meu Irmão”, foi o grande vencedor do É Tudo Verdade 2013. Há tempos sem produzir um curta, Burlan conta: “Acredito que é tão difícil a realização de um curta quanto a de um longa. Não creio que a realização de um curta seja um exercício para filmar um longa, pelo contrário, traço um paralelo entre um curta e um conto na literatura ou uma luta de boxe em que se ganha por nocaute”.

O Festival

20524967Em sua 20a edição, o É Tudo Verdade 2015 – Festival Internacional de Documentários, fundado e dirigido pelo crítico Amir Labaki, apresenta uma seleção de 109 títulos de 31 países, sendo 16 em estreia mundial. O festival acontece entre 9 e 19 de abril em São Paulo e de 10 a 19 de abril no Rio de Janeiro. As itinerâncias deste ano vão exibir destaques da seleção em Belo Horizonte (29 de abril a 4 de maio), Santos (7 a 10 de maio) e Brasília (27 de maio a 01 junho). A entrada para as todas as sessões é franca.

“Últimas Conversas”, o documentário final dirigido por Eduardo Coutinho (1933- 2014), será o filme de abertura do Festival, exibido apenas para convidados nos dias 9 e 10 de abril, respectivamente em São Paulo e no Rio de Janeiro. Com cerca de uma hora e meia de duração, “Últimas Conversas” traz Coutinho papeando com jovens estudantes cariocas.

Cena de Mataram Meu Irmão, filme dirigido por Burlan, vencedor da edição de 2013 do É Tudo Verdade

Cena de Mataram Meu Irmão, filme dirigido por Burlan, vencedor da edição de 2013 do É Tudo Verdade

“O Festival É Tudo Verdade faz parte da minha formação como cineasta. Sou frequentador assíduo desde a sua primeira edição. Passei por grandes experiências no festival como espectador, uma delas inesquecível, foi quando tive contato com a obra de Frederick Wiseman. Em 2007, pela primeira vez, participei em competição no Festival com o filme ‘Construção’, cheguei a ser vaiado numa sessão no CineSESC, experiência que nunca esqueço por acreditar que a vaia e os aplausos são variações do mesmo tema. Em 2013, volto ao Festival em competição com o documentário Mataram meu irmão e sou contemplado com o prêmio de melhor filme pelo júri e crítica. Esse ano, pela primeira vez, entro com um curta e fico muito feliz por novamente estar participando de um festival tão caro a mim”.

Programação

Cidade Vazia será exibido em São Paulo nos dias 12/4 às 13h na Livraria Cultura, no dia 19/4 às 15h no Clube de Criação de São Paulo. No Rio de Janeiro terão duas sessões no Espaço Itaú de Botafogo, no dia 16/4 às 13h e no dia 17/4 às 17h.

Para conhecer a programação completa do festival, clique aqui.