GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO – ACADEMIA INTERNACIONAL DE CINEMA

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro aconteceu na noite de 04 de outubro, numa cerimônia realizada no Theatro Municipal, e a Academia Internacional de Cinema (AIC) festejou com a premiação de Melhor Som para Rodrigo Noronha, professor da AIC, juntamente com Bruno Fernandes, responsáveis pelo som de “Chico – Artista Brasileiro”.

Chico - Foto: Divulgação

Chico – Foto: Divulgação

E por uma feliz coincidência três professores da AIC, todos do mesmo curso, concorriam ao mesmo prêmio de Melhor Som, além de Rodrigo, estavam indicados à categoria: Pedro Lima, por “Chatô, o Rei do Brasil” e Waldir Xavier, por “Casa Grande”.

Conheça mais sobre o Curso de Som para Cinema e TV.

PROFESSORES

Rodrigo Noronha além de professor, é formado em Engenharia de Áudio, participou da montagem e implementação dos Estúdios Mega (RJ). Foi indicado 07 vezes e vencedor 02 vezes (com “Cazuza” e “O Homem do Futuro”) do prêmio ABC de melhor som para longa metragem.

Chatô - Foto: Divulgação

Chatô – Foto: Divulgação

Pedro Lima é editor de som, mixador e produtor de som. Começou estudando Biologia na USP, mas desistiu quando iniciou um estágio na produtora de som Play It Again. Tem experiência em mixagem, masterização, finalização, edição, criação de sons e atua na área de cinema há 20 anos, possui mais de 60 filmes no currículo.

E Waldir Xavier estudou Jornalismo, Filosofia e formou-se em Cinema na Universidade Paris VII, na França. Assinou a edição de som de mais de 60 longas-metragens. Como editor de som, Waldir Xavier recebeu três vezes o prêmio de melhor som no Festival de Havana, Cuba. Além de professor, é também coordenador do Curso de Som para Cinema e TV, da AIC.

Além de Waldir Xavier, outros professores da AIC também participaram do filme “Casa Grande” por trás das câmeras: Clara Linhart , 1ª Assistente de Direção do diretor Fellipe Barbosa e coprodutora do filme; Ana Paula Cardoso assina a Direção de Arte; e Amanda Gabriel produtora do elenco e quem preparou os atores do longa.

OS FILMES

“Chico – Artista Brasileiro” é um documentário sobre um grande personagem da cultura brasileira nos últimos 50 anos, autor, dramaturgo e compositor de uma extraordinária coleção de canções que habitam o imaginário coletivo do país, Chico Buarque dialoga com a própria memória neste filme de Miguel Faria Jr. O longa tem como um dos eixos a descoberta do irmão alemão de Chico.

Chatô é a cinebiografia de Assis Chateaubriand, controverso magnata das comunicações e sua trajetória, baseada no livro e

Chatô - Foto: Divulgação

Chatô – Foto: Divulgação

apadrinhada por Fernando Morais. “O Guilherme (Fontes) não quis fazer uma biografia típica então usou da linguagem cinematográfica para fazer uma espécie de fábula, a meu ver. O filme se passa sobre reflexões que ele tem em seu leito de morte onde, invariavelmente, paramos para fazer um “balanço” sobre nossas vidas. Ele começa a se questionar por todas coisas que fez e, como num lapso de consciência pesada, se põe em julgamento – mas um julgamento maluco, no estilo programa de auditório, que ele adorava. Chatô foi uma pessoa extremamente controversa, fez tanto “bem” quanto “mal”, foi gentil e cortês e tirano, fez coisas extremamente construtivas e outras bem destrutivas. Manipulou Getúlio Vargas, fez alianças escusas e também criou em São Paulo o fabuloso MASP. Enfim, um personagem que marcou a história do Brasil, teve relevante importância e que não teria como passar despercebido” relata Pedro.

Casa Grande - Foto: Divulgação

Casa Grande – Foto: Divulgação

“Casa Grande” conta a história conta a história de um adolescente que luta para escapar da superproteção dos pais, secretamente falidos. Jean, um menino de 17 anos, que vive num condomínio de classe alta da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro e que sonha em ter liberdade e independência. Graças à falência de seu pai, ele pode andar de ônibus pela primeira vez e isso lhe abre os olhos para um novo mundo que está fora das grades do condomínio. No ônibus, ele conhece Luiza, estudante politizada do Colégio Pedro II, por quem se apaixona.

O FESTIVAL

O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro é uma premiação nacional pela Academia Brasileira de Cinema e concedida ao melhor filme estrangeiro e aos melhores do cinema brasileiro em várias categorias. E para homenagear Grande Otelo, esse prêmio recebeu seu nome.

O GP se diferencia dos demais em sua premiação. Nele, a votação nos melhores trabalhos é feita pelos profissionais do cinema, uma forma de a própria classe celebrar seu trabalho e valorizar seus talentos.