Cristiano Burlan e William Mur na Mostra do Filme Livre

O monstrinho de "Bong!", que martela tudo que encontra pela frente.

O monstrinho de “Bong!”, que martela tudo que encontra pela frente.

A Mostra do Filme Livre (MFL) completa 15 anos e a Academia Internacional de Cinema (AIC) não poderia ficar fora dessa grande festa do cinema brasileiro. Esse ano, temos dois representantes, o aluno William Mur e o professor Cristiano Burlan.

A Mostra estará no quatro Centros Culturais Banco do Brasil, de março a junho. Ao todo serão exibidos 205 filmes, em sua maioria independentes, começando no Rio de Janeiro (9 de março a 4 de abril) seguindo quase ao mesmo tempo para São Paulo (16 de março a 7 de abril); Indo para Brasília (13 de abril a 2 de maio) e finalizando sua maratona na capital mineira (25 de maio a 13 de junho). De curtas infantis a longas erotizados, sem esquecer as experimentações e documentários a mostra é gratuita e aberta ao público.

Bong!

Foto Cristiano Burlan

O cineasta e professor Cristiano Burlan tem 4 filmes exibidos na Mostra deste ano.

O curta do aluno William Mur, eleito o Melhor Filme pelo Júri Popular no último Filmworks Film Festival, compõe a Mostrinha Livre, que traz uma programação especial para crianças. Serão duas sessões de 35 minutos cada, às 11h de todos os finais de semana da MLF em cada cidade. Confira a programação de exibição do curta aqui.

O filme conta a história de um monstro que passa o dia martelando tudo que encontra pela frente, até o dia que ele acha uma caixa musical e tudo parece mudar.

Uma Mostra para Burlan

O professor Cristiano Burlan, homenageado nessa edição, recebe uma Mostra de Destaque e terá quatro dos seus filmes exibidos. “Cristiano Burlan, em pouco tempo, fez um conjunto de filmes livres que alargam o território do cinema paulista. É incrível como em alguns anos, Burlan vem dando desenvolvimento a uma filmografia de filmes intensos. Depois do impactante “Mataram Meu Irmão”, e sua veia documental biográfica direta, vieram filmes de ficção como “Amador”, “Sinfonia de Um Homem Só” e “Fome”, que apontam para outros caminhos. Um filme por ano, às vezes até mais de um longa por ano. A liberdade e a energia de Burlan merecem ser melhor acompanhadas e estão sendo reconhecidas pela MFL”, é o que diz no site da Mostra. Clique no nome de cada filme para ler a sinopse e conhecer a programação de exibição em cada cidade: Amador, Fome, Mataram Meu Irmão e Sinfonia de Um Homem Só.

 *Fotos: divulgação filmes Fome e Bong!