CINE MATILHA APRESENTA QUATRO FILMES DE MARCELA LORDY, PROFESSORA DA AIC

O Cine Matilha exibe de 15 de novembro a 18 de dezembro os filmes selecionados na 1ª Mostra de Filmes Independentes e neste final de semana, contará com a apresentação de quatro filmes de Marcela Lordy, documentarista e professora do Curso de Formação Livre em Documentário da Academia Internacional de Cinema (AIC). No total, foram 411 inscritos e 77 selecionados pela curadoria do Cine Matilha, realizada por parceiros do espaço.

Filme: Sonhos de Lulu - Foto: Divulgação

Filme: Sonhos de Lulu – Foto: Hanna Vadasz

Marcela Lordy começou sua trajetória em 2010, quando filmou 5 curtas para o monólogo ‘Louise Valentina’ da atriz Simone Spoladore, que logo se tornaram o curta experimental “Sonhos de Lulu”. O filme participou de festivais como a 22º Mostra do Audiovisual Paulista, Brasil On Art e do Festival On-line de Filmes Brasileiros sobre Arte. Nesse mesmo ano, dirigiu o média-metragem “A Musa Impassível”, que ganhou prêmio de melhor filme segundo júri e público no 18º Festival de Cuiabá. Em 2011, escreveu e dirigiu o documentário “Ouvir o Rio: uma escultura de Cildo Meireles”, que participou de vários festivais nacionais e internacionais como Expressions Of Brazil 2012 – Toronto – Mostra BRAFFTV, 15° Buenos Aires Festival Internacional De Cine Independiente (BAFICI), Festival International Signes de Nuit, Rússia, entre outros. E em 2012, assinou direção e roteiro do curta-metragem “Aluga-se”, que também entrou em vários festivais nacionais e internacionais, como 13° Edición Del Festival Internacional de Cine De Martil, 4º Cine Fest Brasil Montevidéu, 8th Brasilcine – The Brazilian Film Festival In Scandinavia, entre outros.

Mais recentemente, Marcela ganhou o Ibermedia – um programa de incentivo à coprodução de filmes de ficção e documentários realizados pelos países ibero-americanos – para desenvolver seu próximo longa.

Confira a programação completa da exibição dos filmes de Marcela Lordy.

A Musa Impassível

19/11 – às 16h

03/12 – às 15h

Aluga-se

19/11 – às 17h

03/12 – às 16h

Sonhos de Lulu

19/11 – às 17h30

03/12 – às 16h30

Ouvir o Rio: uma escultura sonora de Cildo Meireles

19h11 – às 18h

03/12 – às 17h

Filme: Musa Impassível - Foto: Divulgação

Filme: Musa Impassível – Foto: Edouard Fraipont

Sinopses:

A Musa Impassível

Adrine é neta de armênios, Edivaldo é filho de pernambucanos. Ela tem toc e aspira à imobilidade. Ele tem ausências que o paralisam completamente. Adrine é casada com Adilson, um homem embrutecido que não suporta ser tocado pela mulher. Edivaldo quer casar-se com Gladis, aspirante ao mundo fashion. Adrine deseja não ser notada. Edivaldo precisa ‘ser alguém’ para reconquistar sua noiva. Numa manhã, as vidas de Edivaldo e Adrine se cruzam na região da luz por causa de uma laranja quase madura. Entre monumentos históricos, esculturas, pessoas de origens e sonhos diversos, Edivaldo e Adrine compartilham uma jornada de reconhecimento e aceitação sem imaginar que o que vivem, na verdade, é a mais antiga e necessária das histórias: uma história de amor.

Filme: Aluga-sel - Foto: Divulgação

Filme: Aluga-se – Foto: Renato Stokler

Aluga-se

São Paulo vive apagando sua memória. Clarice, recém-separada, procura um lugar silencioso para viver, onde as casas ainda preservem a comunicação com a rua e os moradores usufruam as praças do bairro. Antônio, recém-separado, é quadrinista, trabalha em casa e se vê obrigado a vender o local onde passou a infância para abrir espaço à especulação imobiliária. Durante um dia acompanhamos a busca deles por um novo lar e um novo amor. Clarice encontra na casa de Antônio tudo o que precisava, mas a casa acaba de ser vendida. Fica no ar a possibilidade de um encontro amoroso diferente das relações efêmeras que eles vêm experimentando. Um retrato da verticalização caótica da cidade de São Paulo e a percepção do espaço público como uma tradução de nós mesmos.

Sonhos de Lulu

Simone Spoladore e Felipe Vidal escrevem um monólogo sobre duas figuras femininas de personalidade forte e espírito independente: a atriz norte-americana Louise Brooks e a personagem Valentina, do quadrinista italiano Guido Crepax. E a convite deles, Marcela pesquisei o cinema avant-garde (vanguarda), o universo de história em quadrinho e o cinema dos anos 60. Juntos, criaram cinco curtas que integraram o espetáculo visual “Valentina” de dança contemporânea, quadrinhos, artes visuais e cinema. São sonhos eróticos de uma atriz do cinema mudo que deixou muitas palavras. O universo feminino retratado em toda sua complexidade: diferentes papéis, fetiches, dilemas, identidade, profissão, liberdade, maternidade, poder e sexualidade.

Filme: Ouvir Rio - Foto: Divulgação

Filme: Ouvir Rio – Foto: Janice d’Avila

Ouvir o Rio: uma escultura sonora de Cildo Meireles

O documentário acompanha o trabalho do artista plástico na busca do som das principais bacias hidrográficas brasileiras, e nas águas processadas pelo homem (residuárias), para a construção da obra “Sonora Rio: oir”, criada a partir de jogo e articulação entre palavras e conceitos. Um vinil, que tem de um lado as águas, e de outro, risadas. O filme é o relato dessas viagens, das aventuras dessa busca de Cildo, passando por Foz do Iguaçu, pela Pororoca do Macapá, Parque das Águas Emendadas, Rio São Francisco, para depois em um estúdio de som juntar os pedaços combinados à cacofonia das águas residuárias e às gargalhadas humanas.

Serviço:

Cine Matilha: Rua Rego Freitas, 542. Única sala de cinema da cidade onde a entrada de cães é permitida em todas as sessões.

Os filmes terão exibição gratuita e os ingressos serão distribuídos por ordem de chegada.