Aracati, das professoras Aline Portugal e Julia de Simone, estreia no IDFA – o maior festival de documentários do mundo

aerogeradorTem como fazer um filme com algo tão imaterial como o vento? As professoras da Academia Internacional de Cinema (AIC – RJ) Aline Portugal e Julia de Simone provaram que sim! Com vontade de experimentar maneiras de se aproximarem de algo impalpável, toparam essa empreitada e, ao longo de seis anos, viajaram pelo Vale do Jaguaribe, no Ceará, seguindo a rota do Vento Aracati. O resultado é o média-documentário “Acarati”, que tem sua estreia mundial no próximo dia 21 no maior festival de documentários do mundo, o IDFA – International Documentary Film Festival Amsterdam, que acontece entre 18 e 29 de novembro na Holanda.

“Se em um primeiro momento gostaríamos de fazer um filme sobre o vento, com essas experiências começamos a perceber que as paisagens estavam se transformando de forma acelerada, assim como os modos de vida e o senso de temporalidade na região. Descobrimos então que o vento, mais do que um tema, era uma força motriz que sopraria essa jornada pela região, como um wind movie”, contam Aline e Julia, responsáveis pela direção, roteiro e produção do documentário.

cidade submersaO filme parte do litoral e adentra pelo interior do estado. “O que nos encantou foi a história desse vento que passa todos os dias na mesma hora e adentra mais de 400km pelo interior do estado, sendo um elemento importante na região”, conta Aline que também revela que o espaço estava sofrendo grandes mudanças, tanto com a ocorrência do Aracati como nas relações que as pessoas desenvolvem com o vento. “Decidimos nos focar nessas paisagens em transformação e perceber as relações que as pessoas estabelecem com esses espaços. A todo momento são forças distintas que estão ali, coexistindo no mesmo tempo-espaço, ora em harmonia, ora de forma violenta”, conta Aline.

Durante os anos de pesquisa, elas também filmaram outros dois curtas: “Vento Aracati” (2014) e “Estudo para o Vento” (2011). “Em 2016, temos já agendada uma viagem de exibição dos três filmes pelo interior do Ceará, nas cidades em que filmamos”, contam as diretoras.

Roteiro de Documentário

moto na dunaJulia dá aulas no Curso de Documentário e Aline no Curso de Formação Livre em Roteiro. Quando questionadas sobre o roteiro do documentário elas contam que ele foi construído a partir de situações que criaram depois de conhecer um pouco dos personagens através de uma pesquisa realizada por Victor Furtado. “O roteiro foi um guia para a gente, em que definimos algumas cenas que gostaríamos de filmar. Mas é claro que durante o processo precisamos abandoná-lo em vários momentos, para lidar com o que ia aparecendo no nosso caminho. Acredito que, principalmente no documentário, é muito importante que o roteiro seja um elemento disparador, mas que não se transforme em uma prisão que te faça perder de vista o mundo em seu movimento – tanto na filmagem como na montagem”, contam.

O Festival

downloadO filme tem sua estreia mundial no IDFA no próximo dia 21 e ainda será exibido nos dias 23, 24 e 28/11. Antes do IDFA o filme foi premiado no BAL – Laboratório de Work in Progress do BACIFI.

Além de “Aracati”, cerca de 250 novos documentários serão exibidos no festival, que é dividido em mostras competitivas e informativas. O evento também promove um encontro de mercado, o Docs for Sale, que reúne compradores, distribuidores, agentes de venda e programadores.

Equipe do filme

Direção e roteiro Aline Portugal e Julia De Simone – Produção Caroline Louise, Pedro Diógenes, Julia De Simone e Aline Portugal – Direção de fotografia Victor de Melo – Montagem Clarissa Campolina e Luiz Pretti – Pesquisa Victor Furtado – Som direto Marco Rudolf – Desenho de som e mixagem Pedro Aspahan e Hugo Silveira – Correção de cor Damián Benetucci – Coordenador de pós-produção Frederico Benevides – Identidade visual Taís Augusto Lima – Com: João José Gonzaga da Silva, José Célio de Assis, Ideusuite Bezerra, Leonardo de Sá Dutra Cavaleiro, Francisco Isac da Silva, Alvanir de Almeida e Euzébio Zloccowick

*Crédito Fotos: Victor de Mello