Antes de Palavras vence em Curitiba e entra em mais 4 Festivais

Diego Carvalho Sá recebendo prêmio na categoria Melhor Ficção, no FICBIC 2013.

Diego Carvalho Sá recebendo prêmio na categoria Melhor Ficção, no FICBIC 2013. Foto de Rodrigo Cardoso

O recifense de 28 anos, Diego Carvalho Sá, mudou-se para São Paulo em 2008, para estudar cinema na Academia Internacional de Cinema – AIC. Entrou no FILMWORKS, o curso de direção cinematográfica da AIC, em 2009 e, de lá pra cá, muita coisa mudou. Além da mudança de cidade, também largou a comunicação, a moda e o vitrinismo, áreas em que atuava, para se dedicar ao cinema.

Na bagagem, trouxe como referência grandes diretores, entre eles Roman Polanski, Michael Haneke, Sofia Copola e Lucrecia Martel. “Eu adoro o cinema deles, mas não acho que é o tipo de cinema que eu faço, eu sou muito influenciado por séries americanas e HQs” e fundou a Gataria filmes, produtora de vídeo onde atua nas áreas de roteiro, direção e produção, junto com mais três colegas de turma: Alice Andrade Drummond, Mariana Sierra e Tatiana Natsu.

Cena do curta Antes de Palavras, selecionado em 5 festivais nacionais e internacionais.

Cena do curta Antes de Palavras, selecionado em 5 festivais nacionais e internacionais.

Recentemente as mudanças começaram a render bons frutos. No último domingo (29), “Antes de Palavras”, seu primeiro filme, ganhou o prêmio de Melhor Filme na categoria de ficção no Festival Internacional de Cinema da Bienal de Curitiba – FICBIC. Além do troféus, Diego também ganhou passagem para Alemanha, para conferir de perto um dos Festivais de Cinema mais importantes do mundo, o Festival Internacional de Cinema de Berlim.

“Foi a primeira exibição do filme, meu primeiro festival como realizador, eu estava no modo pai-coruja, orgulhoso do filme fazer parte de um festival lindo, superorganizado, que é braço da BIENAL. Ganhar o 1º lugar de ficção foi completamente inesperado, eu subi ao palco e não soube o que dizer, eu gostaria de ter aproveitado aquele momento para reconhecer o trabalho de todos os envolvidos no filme e agradecer ao festival”, conta Diego.

Além do prêmio em Curitiba, o curta entrou em outros 4 importantes festivais: no 26º Polari Film Festival, no Texas – EUA; no 36º Festival Guarnicê de Cinema na cidade de São Luiz, no Maranhão; no 21º Festival Mix Brasil, que acontece em novembro no Rio e em São Paulo; e no Festival Internacional de Curtas do Rio de Janeiro.

O Filme

CARTAZ filme antes de palavrasO filme conta a história da aproximação entre dois garotos, sendo que um dele, tem namorada. “A ideia do curta veio da percepção que um grupo de pessoas podem viver o mesmo evento, mas percebê-lo de formas diferentes”, explica Diego, que acha difícil falar sobre o filme. “Prefiro ouvir sobre ele de quem o assistiu, saber qual foi o diálogo gerado entre o filme com outras pessoas, o meu diálogo com o filme envolve tantas coisas, tantos aspectos pessoais, que me falta eloquência”, conta.

Além de Diego, outros alunos e ex-alunos da AIC também trabalharam no filme. Caio Cesar Pinto e Virginia de Ferrante fizeram a assistência de direção, Alice Andrade Drummond e Leo Grego fizeram a direção de fotografia, Thiago Gutier, Danilo Prates, Luciana Coelho e Edna Rock a produção, Tatiana Curto e Tamara Soriano a direção de arte, Thiago Briglia e Lucas Eskinazi a assistência de câmera e Luis Paulo Xein cuidou da elétrica.

O Processo Criativo

Sobre o processo criativo do filme, Diego conta que a fase de roteiro foi muito fluida, orgânica. “Eu acredito que as fases mais desgastantes e exaustivas são a pré e pós-produção, pois são os preparativos e afinamentos, o set tem suas tensões mas, é sempre algo muito especial, o momento onde tudo se materializa”, conta.

A fotografia do filme conta com composições de plano menos sofisticadas e  mais neutras.

A fotografia do filme conta com composições de plano menos sofisticadas e mais neutras.

Diego teve um cuidado especial com o departamento de Direção de Arte, por conta de sua experiência com direção de arte e também com figurino. “Foi especialmente idealizado por mim e belamente realizado pela Tati. A necessidade pelos tons certos para o filme me fez visitar inúmeras escolas e me influenciou até na decisão dos atores, eles também precisavam ter os tons certos – o que não facilitou em nada o meu processo de casting ou a produção de locação. Quanto a fotografia, eu optei por trabalhar com composições de plano menos sofisticadas, mais neutras. Um outro fator crucial para mim era o uso de espaços externos com elementos de natureza e o aproveitamento da luz natural, no intuito de criar um subtexto visual mais romântico”, conta Diego.

Para assistir ao filme, conheça a programação de exibição nos festivais.

 

Ficha técnica

Direção e Roteiro: Diego Carvalho Sá; Assistentes de Direção: Caio César Pinto e Virginia de Ferrante; Produção: Thiago Gutier; Edição e Arte Gráfica: Fabiana de Freitas; Foto: Alice Andrade Drummond e Leo Grego; Arte: Tatiana Curto; Som: Alan Ferreira Pereira; Desenho de Som e Mixagem: Leo Ciotti; Assistentes de Produção: Danilo Prates, Luciana Coelho, Iliria Ferreira, Edna Rock; Assistentes de Câmera: Thiago Briglia, Lucas Eskinazi, Renata Zacarias; Elétrica: Luis Paulo Xein; Operador de Steadycam: Ariel Schvartzman; Assistente de Arte: Guto Jabuti, Nicholas Cho, Tamara Soriano; Trilha Sonora Original: Danilo Valadão Elenco: Marurício Destri, Henrique Larré, Marcella Arnulf e Layla Ruiz.

*Fotos Frame do filme – crédito: Alice Andrade Drummond e Leo Grego