Academia Internacional de Cinema promove 4 oficinas no 40º Guarnicê Festival de Cinema

Começa hoje (02/06) e segue até o dia 10 de junho, o 40º Guarnicê Festival de Cinema, importante festival do Maranhão, que acontece na Universidade Federal do Estado (UFMA). Uma semana cheia com programação diversa, além das mostras, oficinas, bate-papo, lançamentos e exposições.

A Academia Internacional de Cinema (AIC) não poderia ficar fora dessa grande festa do cinema nacional e participa com quatro oficinas de 20 horas cada, que acontecem entre os dias 5 e 9 de junho. Oficina de Direção com o professor Leandro Afonso, Oficina de Direção de Fotografia com o professor Cleumo Segond, Oficina de Produção com a professora Alessandra Haro e Oficina de Direção de arte com o professor Dicezar Leandro. Ao final de cada oficina haverá uma integração entre os alunos para a realização da filmagem de um curta-metragem.

“As oficinas irão introduzir os principais temas de cada área propondo sua integração ao final, para a realização de um exercício prático em audiovisual. Dessa maneira acreditamos poder reproduzir em uma semana, ainda que de forma reduzida, o raciocínio que empregamos no Filmworks, nosso curso técnico de 2 anos. Procuramos relacionar de forma orgânica os diversos conteúdos que fundamentam o aprendizado de cinema, tendo como centro gravitacional os projetos práticos de cada semestre. As oficinas oferecidas no Festival irão permitir ao participante ter uma ideia de como trabalhamos o ensino na escola”, conta Martin Eikmeier, Coordenador Acadêmico da AIC São Paulo.

Gosto de Quero Mais – Um pouco das Oficinas

O professor Leandro Afonso conta que em sua oficina os alunos aprenderão um pouco sobre a linguagem cinematográfica e ao papel do diretor na construção de uma encenação audiovisual.

Já na Oficina Artesões de Imagem, de direção de arte, do professor Dicezar Leandro, o foco é no pensamento criativo, do roteiro à concepção e execução. O aluno terá contato com as definições e aplicações da direção de arte no ambiente audiovisual.

Para sua oficina de direção de fotografia, Cleumo Segond tem como objetivo introduzir a função da Direção de Fotografia no processo cinematográfico, apresentar as ferramentas de trabalho básicas do universo fotográfico e debater algumas questões relativas à contribuição dessa área no cinema.

Alessandra Haro, que ministra a oficina de Produção, traçará um panorama da produção desde a concepção da ideia até a sua distribuição. Também irá trabalhar a questão do papel do produtor e da importância de sua visão técnica, administrativa e criativa.

deserto

Mostras Competitivas

Além das oficinas, de um total de quase 400 filmes inscritos, 37 filmes selecionados, sendo seis longas, 18 curtas nacionais e 13 produções maranhenses competem no festival e serão exibidos no Centro histórico de São Luís do Maranhão. A curadoria do festival contou com a coordenação de Eduardo Valente, coordenador de cursos da AIC do Rio de Janeiro e da equipe formada por Rafaelle Petrini, Stela Aranha e Daniel Queiroz.

Longa de Abertura – Deserto

“Deserto”, do ator e diretor Guilherme Webber, abre o festival. Inspirado na obra “Santa Maria do Circo”, de David Toscana, o premiado filme será exibido hoje (2), às 19h, no Teatro Alcione Nazareth do Centro de Criatividade Odylo Costa, Centro de São Luís (MA).

O drama traz no elenco os atores Lima Duarte, Everaldo Pontes, Cida Moreira, Márcio Rosário, Fernando Teixeira, Claudinho Castro, Magali Biff e Pietra Pan e conta a história de um grupo de artistas que viaja pelo sertão brasileiro apresentando um espetáculo. Ao chegar num pequeno vilarejo, descobrem uma cidade abandonada e uma fonte que jorra água limpa, como um milagre bíblico.

Os artistas decidem se instalar no vilarejo e fundar uma nova comunidade, dando a si mesmos papéis diferentes daqueles que exerceram por toda a vida. A nova configuração vai revelar aos artistas os piores vícios da vida civil. A produção do filme é de Vania Catani, o roteiro de Ana Paula Maia e Guilherme Weber, a produção executiva é de Lili Nogueira e a montagem de Ricardo Pretti.

 

O festival tem o patrocínio do Mateus e do Governo do Maranhão/Sectur, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura, e Banco do Nordeste, o Festival é uma promoção da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), por meio do Departamento de Assuntos Culturais (Dac/Proexce). Tem apoio da Fundação Sousândrade, Universidade FM e TV UFMA, Academia Internacional de Cinema (AIC), Prefeitura de São Luís, Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão e Rock Filmes.